Mercado abrirá em 19 mins

Quem criticar juros a 6,5% que peça para voltar ao que era antes, diz Temer

1 / 1
Quem criticar juros a 6,5% que peça para voltar ao que era antes, diz Temer

LAURA LOTH

FLORIANÓPOLIS, SC (FOLHAPRESS) - No dia seguinte à divulgação do balanço de gestão dos dois anos do governo de Michel Temer (MDB), o presidente discursou em Santa Catarina e criticou os opositores da política econômica do governo.

"Quem quiser opor-se ao nosso governo terá que dizer: 'Sou contra o teto de gastos, porque eu quero gastar'. Quem quiser opor-se terá de dizer: 'Eu não quero essa inflação ridícula. Eu não quero os juros a 6,5%, quero 14%, como era antes'", disse o presidente.

Apesar do discurso, Temer não comentou a decisão anunciada pelo Banco Central de manter a taxa básica de juros em 6,5%. Também não foi mencionado por ele a retração de 0,13% no primeiro trimestre deste ano, registrada pelo Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), que busca prever o Produto Interno Bruto (PIB), divulgada nesta quarta-feira (16).

Ele elogiou a capacidade de gerar empregos da construção civil. Cinco ministros e o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) acompanharam Temer na abertura do Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), em Florianópolis.

Minutos antes, no local do evento, Temer se encontrou com o governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, também do MDB. É a segunda vez na história que o governador catarinense e o presidente são do mesmo partido.