Mercado abrirá em 1 min
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,82 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,77 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,81
    +0,05 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.723,70
    +2,90 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    20.215,39
    +163,89 (+0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    459,80
    +1,39 (+0,30%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,43 (-0,14%)
     
  • FTSE

    6.996,46
    -56,16 (-0,80%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.621,00
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1153
    -0,0209 (-0,41%)
     

Quem é o indiano que desbancou Jeff Bezos como segunda pessoa mais rica do mundo

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Dono do maior conglomerado empresarial da Índia, o magnata Gautam Adani, 60, passou a ocupar a posição de segunda pessoa mais rica do mundo, desbancando o bilionário Jeff Bezos, fundador da Amazon.

Segundo o Índice de Bilionários da Bloomberg, Adani possui uma fortuna estimada em US$ 150 bilhões (cerca de R$ 775 bilhões), US$ 15 bilhões (R$ 77,5 bilhões) a mais do que o patrimônio do norte-americano de Jeff Bezos.

A riqueza do indiano só fica atrás do patrimônio de Elon Musk, CEO da Tesla, estimada em US$ 268 bilhões (R$ 1,385 trilhão).

Barão do carvão, essa é a primeira vez que um asiático atinge um dos postos mais altos no escalão da riqueza, tradicionalmente ocupados por empresários do ramo da tecnologia dos Estados Unidos.

Segundo o site norte-americano Bloomberg News, na década de 1980 Adani se dedicou à indústria de carvão e de portos, após tentar a sorte na indústria de diamantes de Mumbai.

Desde então, investimentos do empresário indiano se expandiram. Atualmente o Grupo Adani, do qual o magnata indiano é presidente, reúne um conglomerado de empresas de diferentes segmentos, atuando em áreas como mineração de carvão, administração de portos e aeroportos, fabricação de cimento e até na distribuição de gás e na produção de energia renovável.

Ainda segundo a Bloomberg News, o grupo indiano pretende se tornar o maior produtor de energia renovável do mundo. Só no ano passado, o grupo teria prometido investir US$ 70 bilhões (R$ 361 bilhões) em energia verde.

De acordo com o jornal britânico Financial Times, o recente investimento em energia renovável é criticado por ambientalistas como um pouco atrasado. Entre as razões está o fato de boa parte da receita do grupo ser proveniente de combustíveis fósseis.

Recentemente, o governo indiano adotou reformas que estimulam a produção de energia renovável no país e que devem acelerar o progresso nesse setor.

Ainda segundo o jornal britânico, a iniciativa do grupo indiano em se tornar mais verde seria um reflexo do empenho do primeiro-ministro Narendra Modi em levar o terceiro maior emissor de gases poluentes do mundo a chegar à emissão zero até 2070.

Ascensão meteórica O crescimento da riqueza do empresário indiano ocorreu de forma vertiginosa. No início do ano, ele ocupava a 14ª posição entre as pessoas mais ricas do mundo no ranking da Bloomberg. Em fevereiro, Adani passou pela primeira vez o bilionário Mukesh Ambani, também da Índia, e se tornou a pessoa asiática mais rica do planeta.

Entre julho e agosto, o patrimônio de Adani ultrapassou as riquezas do norte-americano Bill Gates, criador da Microsoft, e do francês Bernard Arnault, presidente da LVMH.

O patrimônio do magnata indiano cresceu à medida que as ações de suas empresas subiram de forma recorde, em especial o carro-chefe do grupo, a Adani Enterprises Ltd. Ainda segundo a Bloomberg, algumas das ações das empresas do grupo subiram mais de 1.000% desde 2020.

Apesar de Adani ter tomado a posição de Bezos, o cargo de segunda pessoa mais rica do mundo pode ser temporário, já que sua ascensão coincidiu com uma perda de US$ 46 bilhões (R$ 237 bilhões) no patrimônio do empresário norte-americano desde o início do ano.

VEJA O RANKING DA BLOOMBERG COM OS DEZ MAIS RICOS:

Posição — Nome — Fortuna estimada — País

1º — Elon Musk — US$ 268 bilhões — Estados Unidos

2º — Gautam Adani — US$ 150 bilhões — Índia

3º — Jeff Bezos — US$ 145 bilhões — Estados Unidos

4º — Bernard Arnault — US$ 137 bilhões — França

5º — Bill Gates — US$ 111 bilhões — Estados Unidos

6º — Warren Buffett — US$ 97,3 bilhões — Estados Unidos

7º — Larry Page — US$ 93,3 bilhões — Estados Unidos

8º — Sergey Brin — US$ 89,3 bilhões — Estados Unidos

9º — Mukesh Ambani — US$ 88,8 bilhões — Índia

10º — Larry Ellison — US$ 88.7 bilhões — Estados Unidos