Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,83
    +0,85 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.749,60
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    42.998,11
    +435,84 (+1,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.070,35
    -32,71 (-2,97%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,84 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    15.341,50
    +22,75 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2566
    +0,0010 (+0,02%)
     

Queiroga minimiza reclamações sobre envio de vacinas e promete 120 milhões de doses em 2 meses

·1 minuto de leitura
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, posa para foto ao lado do Zé Gotinha no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, minimizou nesta terça-feira críticas de Estados e municípios sobre demora na entrega de doses de vacinas contra Covid-19 pela pasta, e defendeu os resultados da campanha de imunização do país.

Autoridades estaduais e municipais de saúde de vários lugares do país têm cobrado mais celeridade no ritmo de entregas de vacinas e reclamado que o ministério estaria esperando acumular doses em grandes volumes para só depois efetuar a distribuição, o que estaria atrasando a aplicação das injeções.

"Queremos que as doses sejam distribuídas com celeridade, mas não significa dizer que toda dose que chega em Guarulhos ou Viracopos seja imediatamente dispensada para Estados e municípios, precisa da autorização da Anvisa, INCQS", disse Queiroga a jornalistas no Rio de Janeiro.

"O ministério não tem estoque... nossa campanha vai muito bem", afirmou o ministro, acrescentando que a pasta tem a expectativa de distribuir 120 milhões de doses de vacinas em agosto e setembro.

O Brasil aplicou até o momento a primeira dose de vacinas contra a Covid-19 em mais de 101 milhões de pessoas, o equivalante a 48% da população, enquanto 41,5 milhões tomaram as duas doses ou vacina de dose única, o que representa 19,7% da população, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

A previsão do governo é vacinar todas as pessoas acima de 18 anos (158 milhões de pessoas) com as duas doses ainda este ano.

Queiroga também afirmou que o avanço da vacinação da população poderá permitir que o uso de máscara deixe de ser recomendado no país.

"Por mim já tinha tirado essas mascaras há muito tempo, mas precisamos vacinar a nossa população", disse.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos