Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.548,58
    -3.267,37 (-5,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Que tal ajudar a NASA a treinar um algoritmo que identifica estruturas em Marte?

·2 min de leitura

Embora as inteligências artificiais tenham um enorme potencial para ajudar os cientistas na exploração do universo, elas precisam da ajuda humana para serem treinadas no processo. Assim, a NASA convida o público a ajudar nesta missão. Através do projeto AI4Mars, os participantes podem ajudar um algoritmo de inteligência artificial a reconhecer formações de interesse científico nas fotos do Planeta Vermelho, tiradas pelo rover Perseverance.

O AI4Mars é, na verdade, um projeto que dá continuidade a outro lançado no ano passado, que rendeu a identificação de formações em quase meio milhão de imagens. Para isso, os participantes usaram uma ferramenta online para destacar formações interessantes, como areia e rochas, analisadas pelos cientistas da NASA para determinarem possíveis perigos no caminho dos rovers em Marte.

Os participantes do projeto contornam e identificam diferentes rochas e formações na paisagem de Marte (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)
Os participantes do projeto contornam e identificam diferentes rochas e formações na paisagem de Marte (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)

O trabalho resultou na criação do algoritmo Soil Property and Object Classification (SPOC), capaz de identificar estruturas com acerto de 98%. Como o SPOC ainda está em desenvolvimento, os cientistas planejam usar as imagens feitas pelo rover Perseverance para aprimorá-lo, expandindo os tipos de identificações que podem ser aplicadas em formações da superfície marciana.

Para isso, o AI4Mars conta com etiquetas de identificação para detalhes mais refinados, para os participantes escolherem opções como rochas flutuantes (“ilhas” de rochas) ou nódulos (estruturas formadas por água e minerais cimentados). Assim, futuramente, o algoritmo poderá ajudar o rover a selecionar informações de interesse na pilha de dados enviada à Terra — que pode envolver centenas de imagens diariamente, as quais precisam ser analisadas em poucas horas para os cientistas elaborarem um novo conjunto de instruções ao rover.

Annie Didier trabalhou na versão do AI4Mars voltada para o rover Perseverance e já sugere alguns propósitos para os dados de Marte. “Com esse algoritmo, o rover pode selecionar automaticamente alvos científicos e ir até eles”, propôs ela. Ainda, o algoritmo poderia armazenar imagens variadas a bordo do rover, para depois enviar de volta imagens de estruturas de interesse dos cientistas.

Partes do rover Perseverance visíveis ao lado de uma área destacada no projeto (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)
Partes do rover Perseverance visíveis ao lado de uma área destacada no projeto (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)

Já Vivian Sun, cientista do JPL, explica ser impossível que os cientistas analisem todas as imagens com precisão em tão pouco tempo, todos os dias. “Se um algoritmo pudesse nos dizer ‘acho que vi rochas ou nódulos ali’, teríamos grande economia de tempo e a equipe científica poderia analisar aquelas áreas com mais detalhes”, disse. Mesmo assim, vale lembrar que mesmo quando estiver aprimorado, o algoritmo não substitui as análises mais complexas, realizadas por cientistas humanos.

Para participar do AI4Mars, é só clicar aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos