Mercado abrirá em 3 h 51 min
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,39
    +0,63 (+0,75%)
     
  • OURO

    1.800,40
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    62.853,47
    +2.185,30 (+3,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.231,61
    +27,06 (+0,38%)
     
  • HANG SENG

    26.106,87
    -20,06 (-0,08%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.370,75
    +29,75 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5781
    -0,0027 (-0,04%)
     

Quatro detentos são encontrados mortos em prisão do Equador onde ocorreu rebelião

·1 minuto de leitura
O familiar de um dos 119 detentos mortos em confronto entre gangues em um presídio, chora enquanto aguarda notícias fora do necrotério em Guayaquil, Equador, em 3 de outubro de 2021 (AFP/Fernando Méndez)

Quatro presos foram encontrados mortos nesta quinta-feira (14) na mesma prisão do Equador onde ocorreu uma das piores rebeliões carcerárias da América Latina, com 119 presos mortos, informou o órgão encarregado de administrar as prisões.

Trata-se do suposto "suicídio de 4" presos, disse o Serviço Nacional de Atenção Integral a Pessoas Adultas Privadas de Liberdade (SNAI) no Twitter.

Acrescentou, sem mais detalhes, que após a descoberta na madrugada fora ativados "protocolos de segurança" na penitenciária do Litoral, na cidade costeira de Guayaquil (sudoeste).

Por sua vez, a polícia afirmou que em uma operação na mesma prisão encontrou duas malas com munições.

A penitenciária do Litoral foi palco de uma das piores rebeliões carcerárias na região, quando gangues rivais se enfrentaram, deixando 119 detentos mortos, entre eles desmembrados e queimados.

No decorrer de 2021, as rebeliões carcerárias no Equador deixam 238 mortos, segundo dados oficiais. Em fevereiro em uma rebelião simultânea em quatro presídios, na qual morreram 79 detentos.

A crise carcerária levou o governo do presidente Guillermo Lasso a decretar um estado de exceção por 60 dias, o que lhe permitiu mobilizar 3.600 soldados e policiais para patrulhar os 65 presídios do país.

Os presídios equatorianos têm capacidade para 30.000 pessoas, mas são ocupados por 39.000, com uma superlotação de 30%.

pld/lm/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos