Mercado fechará em 6 h 5 min
  • BOVESPA

    123.330,45
    +1.529,24 (+1,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.226,52
    +31,09 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,51
    +0,36 (+0,53%)
     
  • OURO

    1.802,40
    -12,10 (-0,67%)
     
  • BTC-USD

    37.723,77
    -1.370,52 (-3,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,37
    -37,52 (-3,84%)
     
  • S&P500

    4.417,00
    +14,34 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    34.925,35
    +132,68 (+0,38%)
     
  • FTSE

    7.118,96
    -4,90 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.204,69
    -221,86 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.107,25
    +33,75 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0645
    -0,0538 (-0,88%)
     

Quase todos os novos óbitos da COVID nos EUA são de não vacinados

·2 minuto de leitura

No combate ao coronavírus SARS-CoV-2, os Estados Unidos parecem seguir a melhor fórmula: vacinação em massa da população. Atualmente, a média de óbitos diários pela COVID-19 é de 307, para todo o país. Agora, pesquisadores e autoridades locais calculam que quase todas as mortes são de pessoas que não foram vacinadas contra o agente infeccioso ou não receberam a imunização completa (2 doses).

A partir dos dados governamentais sobre a COVID-19 do mês de maio deste ano, a Associated Press (AP) calculou que as pessoas totalmente imunizadas contra o coronavírus eram uma minoria no número de novas internações. Apenas 1,2 mil pacientes imunizados foram internados, enquanto o número total de internações no mesmo mês foi de 853 mil. Isso é cerca de 0,1%.

Vacinação completa derruba número de óbitos e de internações nos Estados Unidos (Imagem: Reprodução/Mat Napo/Unsplash)
Vacinação completa derruba número de óbitos e de internações nos Estados Unidos (Imagem: Reprodução/Mat Napo/Unsplash)

Além disso, apenas cerca de 150 das mais de 18 mil mortes por COVID-19, em maio, ocorreram em pessoas totalmente vacinadas. Isso se traduz em cerca de 0,8%, ou cinco mortes por dia, em média. Para chegar a estas conclusões, a AP analisou os dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Vale lembrar que, em janeiro, o país chegou a registrar 3,4 mil mortes diárias por causa da doença.

Autoridades confirmam eficácia das vacinas

No início de junho, Andy Slavitt, ex-conselheiro do programa governamental contra a COVID-19, sugeriu que 98% a 99% dos norte-americanos que morrem em decorrência do coronavírus não estavam vacinados, mesmo que os imunizantes estivessem disponíveis. Isso porque o país é um dos poucos a ter uma oferta tão alta do produto.

Na última terça-feira (22), a diretora do CDC, Rochelle Walensky, afirmou que as vacinas contra o coronavírus são tão eficazes que “quase todas as mortes, especialmente entre adultos, devido à COVID-19, são, neste ponto, totalmente evitáveis”. Neste cenário, Walensky classificou os atuais óbitos como sendo "particularmente trágicos".

No momento, cerca de 63% de todas as pessoas elegíveis à vacina, ou seja, aqueles com 12 anos ou mais, já receberam pelo menos uma dose de algum imunizante. Além disso, 53% estão totalmente vacinados, de acordo com o CDC.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos