Mercado fechará em 5 h 49 min

Quase 60% dos pacientes com covid-19 continuam com sintomas três meses depois

Segundo um estudo conduzido pela USP, UnB e Fiocruz Brasília, 58,5% dos pacientes com covid-19 continuam a apresentar sintomas mesmo três meses após a infecção. Entre as pessoas que não tomaram a vacina, essa taxa é ainda maior: 72%. O alerta é que esses sintomas acometem tanto quadros graves quanto infecções leves ou até mesmo assintomáticas.

O artigo aponta como sintomas mais frequentes estão ansiedade (80%), perda de memória (78%), dor (77%), falta de atenção (75%), fadiga (73%), queda de cabelo (71%), alterações de sono (70%), alterações de humor (62%) e dor nas articulações (59%).

Ao todo, os pesquisadores entrevistaram 1.728 adultos. Dentro desse grupo, 1.230 tiveram diagnóstico positivo para covid-19. Os responsáveis pelo estudo revelam que não se sabe com muita clareza as causas e fatores associados à covid longa, mas que foi possível observar um impacto grande nas atividades de trabalho e estudo sem a orientação adequada aos pacientes.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), de 10% a 20% das pessoas com covid podem desenvolver quadro de covid longa. Os números do Brasil envolvem cerca de 2,8 milhões a 5,6 milhões, mas não há orientações específicas do Ministério da Saúde sobre essa condição.

58,5% dos pacientes com covid-19 apresentam sintomas três meses depois (Imagem: photocreo/Envato)
58,5% dos pacientes com covid-19 apresentam sintomas três meses depois (Imagem: photocreo/Envato)

De qualquer forma, um alerta que se faz é para que a população busque a vacinação contra covid-19, levando em consideração que a incidência era maior naqueles não vacinados.

Isso se soma ao fato de que o ministério reforça a importância da vacinação, incluindo todas as doses de reforço indicadas, para garantir a máxima proteção contra casos graves e essas consequências de longo prazo.

Estudos anteriores sobre covid longa apontam que o risco aumenta após segunda infecção. Além disso, pesquisadores também já revelaram que as sequelas da covid longa também afetam crianças.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: