Mercado fechado

Quase 60% de ativos de fundos mútuos serão ESG até 2025, diz PwC

Alastair Marsh
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O investimento com critérios ambientais, sociais e de governança é a mudança mais significativa em gestão de recursos desde a criação dos fundos de índice há duas décadas, segundo relatório da PwC, e irá remodelar as finanças da mesma forma que os fundos passivos.

De acordo com o novo estudo, até 2025, 57% dos ativos de fundos mútuos na Europa estarão em fundos que consideram os chamados critérios ESG, na sigla em inglês, o equivalente a 7,6 trilhões de euros (US$ 8,9 trilhões), em relação a 15,1% no fim do ano passado. Além disso, 77% dos investidores institucionais pesquisados pela PwC disseram que planejam parar de comprar produtos não ESG nos próximos dois anos.

Com a injustiça racial e econômica, bem como a mudança climática como questões sociais importantes nos últimos anos, empresas financeiras foram obrigadas a prestar mais atenção às próprias contribuições para tornar o mundo mais justo e mais verde. Isso se manifestou principalmente na explosão de fundos ESG com gestores de ativos de todos os tipos, com fundos de pensão, firmas de private equity e fundos de hedge que passaram a contratar equipes de sustentabilidade, lançar produtos no segmento e divulgar suas credenciais verdes.

“ESG é nada menos do que uma mudança abrangente no cenário de investimentos; coloca os critérios de desempenho financeiro e não financeiro em condições de igualdade”, disse a PwC no relatório publicado na segunda-feira.

Os fundos ESG têm proliferado na Europa porque reguladores e formuladores de políticas tornaram as questões verdes prioridade e criam regras para garantir que as empresas financeiras incorporem a sustentabilidade em suas operações e erradiquem o chamado greenwashing. Ao mesmo tempo, a crescente conscientização da sociedade sobre os riscos relacionados a ESG - que foi acelerada pela Covid-19 - e o surgimento de uma geração de investidores que priorizam impactos não financeiros ao lado de fatores financeiros puxaram o crescimento, de acordo com a PwC.

O desempenho dos fundos ESG em relação aos seus pares tradicionais nos últimos meses também chamou a atenção de investidores, disse a PwC. Gestoras de fundos como BlackRock, Allianz Global Investors e Invesco disseram que os portfólios ESG mostraram desempenho superior durante a onda vendedora da Covid-19.

A PwC prevê que os fundos de ações ESG terão uma taxa de crescimento anual composta de 26,8%, e os ativos devem quadruplicar, para mais de 3,6 trilhões de euros até 2025. Os fundos de renda fixa crescerão a uma taxa de 30,4% e os ativos passarão de 1,6 trilhão de euros em cinco anos.

A PwC disse que a Europa domina o cenário ESG global: 4.741 fundos mútuos ESG da região possuem quase 70% dos ativos ESG globais. E embora a PWC espere que o impacto do fervor verde da Europa se estenda além de suas fronteiras, à medida que novos requisitos são impostos a empresas e investidores de fora da UE, gestores de ativos dos EUA enfrentam possíveis limites em investimentos verdes.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.