Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.235,76
    +1.584,71 (+1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.808,21
    +566,41 (+1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,62
    +1,12 (+1,24%)
     
  • OURO

    1.806,90
    -5,40 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    23.762,90
    +628,58 (+2,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    559,85
    +28,63 (+5,39%)
     
  • S&P500

    4.210,24
    +87,77 (+2,13%)
     
  • DOW JONES

    33.309,51
    +535,10 (+1,63%)
     
  • FTSE

    7.507,11
    +18,96 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.389,50
    +358,00 (+2,75%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2384
    +0,0057 (+0,11%)
     

Quase 100% de adolescentes que precisam de UTI não são vacinados

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Quase todos os adolescentes que precisaram de cuidados de terapia intensiva para a Covid-19 não foram vacinados, segundo estudo que reforça o uso das vacinas da Pfizer e da BioNTech em jovens.

Most Read from Bloomberg

A vacina evitou 98% das visitas à UTI e 94% das hospitalizações relacionadas à Covid no estudo com mais de 1.000 adolescentes de 12 a 18 anos em 23 estados dos EUA, publicado na quarta-feira no New England Journal of Medicine.

Embora os adolescentes possam desenvolver complicações graves decorrentes da Covid, é relativamente raro que isso aconteça, o que dificulta a avaliação da eficácia da vacina se comparado com adultos mais velhos, levando a alguma controvérsia sobre a imunização de pessoas mais jovens. Por exemplo, os dados que a Pfizer enviou para buscar a autorização da vacina a crianças de 12 a 15 anos não incluíam casos suficientes para avaliar a eficácia na prevenção da Covid grave.

A pesquisa do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA com uma rede de 31 hospitais é uma das mais detalhadas até agora, mostrando que as vacinas podem prevenir complicações graves da Covid em adolescentes.

Os resultados mostram que “quase todas as hospitalizações e mortes nessa população poderiam ter sido evitadas com a vacinação”, disse o professor de pediatria do Centro Médico da Universidade Vanderbilt, Kathryn Edwards, em nota que acompanha o estudo.

O trabalho comparou 445 adolescentes hospitalizados com Covid com um grupo de controle de 777 internados por outros motivos, incluindo aqueles com sintomas semelhantes à Covid que testaram negativo. Ele foi realizado entre 1º de julho e 25 de outubro de 2021, momento em que a vacina da Pfizer estava amplamente disponível para adolescentes e a variante delta era dominante. A maioria das crianças hospitalizadas com Covid que participaram do estudo estavam no sul, onde a onda delta afetou os EUA pela primeira vez.

No geral, os pesquisadores descobriram que 96% dos adolescentes hospitalizados com Covid e 99% dos que receberam suporte de vida não foram totalmente imunizados. Todos os sete pacientes que morreram de Covid e todos os 13 pacientes que receberam um tratamento de última hora chamado oxigenação por membrana extracorpórea não foram vacinados, mostram os resultados.

Cerca de 74% dos adolescentes hospitalizados com Covid no estudo tinham pelo menos uma comorbidade, como obesidade.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos