Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,11
    -1,56 (-2,49%)
     
  • OURO

    1.794,30
    +15,90 (+0,89%)
     
  • BTC-USD

    55.098,46
    -1.469,84 (-2,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.270,54
    +7,58 (+0,60%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.902,25
    +108,00 (+0,78%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7022
    -0,0003 (-0,00%)
     

Quarta onda | Especialistas alertam: mortes por COVID-19 devem aumentar nos EUA

Nathan Vieira
·2 minuto de leitura

Nesta quinta-feira (1), a Universidade de Massachusetts Amherst fez uma projeção sobre as mortes por COVID-19 nos EUA. Segundo essa análise, o número deve voltar a aumentar graças a uma nova onda de contaminações.

Os pesquisadores apontam dezenas de milhares de mortes adicionais enquanto o país acelera sua campanha de vacinação. Em paralelo, as hospitalizações de pacientes com a doença só faz aumentar nos EUA. De acordo com os centros de controle e prevenção de doenças, o país caminha para uma quarta onda da pandemia.

A Universidade de Massachusetts Amherst conta com um programa chamado COVID-19 Forecast Hub, que estimou uma queda do número de mortes para 6.028 até 10 de abril, para então haver uma ascensão. Para realizar essa previsão, os envolvidos tiveram como base dezenas de modelos independentes, projetando cenários para até quatro semanas no futuro.

Mortes por COVID-19 devem voltar a aumentar nos EUA, segundo estimativa de especialistas de universidade norte-americana (Imagem: IciakPhotos/Envato Elements)
Mortes por COVID-19 devem voltar a aumentar nos EUA, segundo estimativa de especialistas de universidade norte-americana (Imagem: IciakPhotos/Envato Elements)

Enquanto isso, os especialistas de saúde pública trouxeram à tona a expectativa de que a vacinação nos EUA tivesse como consequência uma constante queda nas mortes durante esse período, mas o cenário é outro. Um platô (uma estabilização no número de novos casos confirmados da doença, sem aumento nem redução significativas referentes a esses números) de 1.000 mortes por dia significa 30 mil mortes por mês e muito mais até 4 de julho. Acontece que esta é a data em que o presidente dos EUA, Joe Biden, previu uma possibilidade de retorno à situação normal.

Mesmo com essas projeções, vale levantar o olhar para o seguinte: a vacinação no país governado por Biden, atualmente dirigida a pessoas com 65 anos ou mais, tem potencial para evitar um aumento de mortes como já aconteceu em ondas anteriores, considerando que o público idoso estaduniense está presente em quatro de cada cinco mortes por COVID-19. Mas há esperança: 73% da população idosa dos EUA já recebeu pelo menos uma dose do imunizante.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: