Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,34
    +0,11 (+0,15%)
     
  • OURO

    1.762,70
    -16,10 (-0,91%)
     
  • BTC-USD

    43.691,86
    +1.624,98 (+3,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.097,53
    +57,05 (+5,48%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.083,37
    +102,39 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    24.620,44
    +398,90 (+1,65%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.200,50
    +37,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2083
    -0,0005 (-0,01%)
     

Quanto vale os 2.500 imóveis imóveis dos Correios? Nem a companhia sabe

·1 minuto de leitura
Desterro de Entre Rios, Minas Gerais, Brazil - July 03, 2021: aged sign with post office logo
Companhia entrou em processo de privatização sem que hovesse um levantamento sobre o valor estimado das agências (Getty Image)
  • Empresa não tem dados atualizados sobre o valor dos locais

  • Último balanço patrimonial aconteceu em 2014

  • Agências em locais privilegiados podem custar milhões de reais

Muitos proprietários de imóveis sabem exatamente quanto custa cada espaço. No entanto, os Correios não sabem quanto custa os 2.500 locais que fazem parte do conglomerado da companhia. 

Leia também:

Conforme uma apuração do The Intercept Brasil, o balanço patrimonial deveria ter sido realizado em 2019. Mas, como foi postergado, os dados mais recentes são de 2014, que apontavam o valor de R$ 5,692 bilhões em prédios.

Após advertência de auditores, a companhia disse que a pandemia interferiu na contabilidade da carteira imobiliária, além de afirmar que mudaram a forma como os imóveis são calculados.

Com a privatização, surge a necessidade de precificar o valor material da empresa. Na cidade de São Paulo, existem agências em locais históricos. Já no Rio de Janeiro, uma das sedes ocupa 100 metros quadrados em um dos locais mais caros da cidade. 

Em Brasília uma sede estatal chega a custar mais de R$ 360, segundo um contrato de seguro assinado no ano passado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos