Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,79
    -0,78 (-1,97%)
     
  • OURO

    1.907,50
    -4,40 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    13.630,31
    -50,43 (-0,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.531,00
    -57,00 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Quanto dinheiro a NASA precisa para levar novos astronautas à Lua?

Danielle Cassita
·3 minutos de leitura

Nesta segunda-feira (21), a NASA publicou um plano que revela algumas mudanças no programa Artemis, que irá levar astronautas outra vez à Lua em 2024. O orçamento para a realização da fase 1, destinada à missão na Lua, é de U$ 28 bilhões e tem prazo de quase cinco anos. Será necessário também que o congresso aprove U$ 3,2 bilhões nos próximos meses para o início do desenvolvimento dos landers lunares da missão dentro deste prazo desafiador.

Jim Bridenstine, administrador da agência espacial, declarou também que com o apoio do congresso, o esforço para retornar à Lua está dentro do alcance dos Estados Unidos. Assim, conforme os planos de exploração e orçamento foram solidificados nos últimos meses, a agência veio refinando o orçamento e arquitetura. "Vamos voltar para a Lua em busca de descobertas científicas, benefícios econômicos e inspiração para uma nova geração de exploradores", diz. Então, enquanto a presença sustentável é construída na Lua, serão realizadas as etapas necessárias para que os humanos deem seus primeiros passos no Planeta Vermelho.

Conceito da nave Orion (Imagem: Reprodução/NASA)
Conceito da nave Orion (Imagem: Reprodução/NASA)

De acordo com o documento publicado pela agência, o programa Artemis vai contar com o foguete SLS, a cápsula Orion e a estação espacial Gateway, que será um espaço onde os astronautas poderão passar períodos curtos na órbita da Lua. Bridestine comentou também que a agência tem todos os sistemas e contratos preparados para garantir que será possível levar astronautas outra vez à Lua.

Entretanto, ele reconhece que levar a primeira mulher e o próximo homem ao nosso satélite natural em apenas quatro anos é algo bastante desafiador; embora a NASA seja habilidosa para lidar com os riscos técnicos, existem também os riscos políticos envolvidos principalmente em função dos custos do programa. "Para economizar e reduzir os riscos políticos, queremos ser rápidos, e [realizar a missão em] 2024 é um cronograma agressivo. É possível? Sim. Tudo tem que correr bem? Sim". Por fim, Bridenstine explica que a agência receber os U$ 3,2 bilhões necessários para o desenvolvimento do Human Landing System (o sistema de pouso humano), é provável que a missão possa ser realizada em 2024.

No cronograma do programa, a Artemis I — a primeira missão — deverá ser realizada em 2021, mas sem astronautas. Já a Artemis II acontecerá em 2023 e será tripulada, porém apenas orbital, sem alunissagem (nome dado a pousos lunares). Então, se tudo correr de acordo com o planejado, 2024 será o ano de realização da Artemis III, com o pouso dos novos astronautas, que acontecerá no polo sul lunar. A NASA ainda não decidiu se irá construir a estação Gateway na missão Artemis III, sendo que o mais provável é que os astronautas só comecem a usar a estação orbital nas missões posteriores à Artemis IV.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: