Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.961,48
    -56,17 (-0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Quantidade de esperma produzido diminuiu quase 50% ao longo das décadas

Segundo um novo estudo da revista científica Human Reproduction Update, a contagem de esperma em todo o mundo está diminuindo com o decorrer das décadas, o que sugere uma preocupante trajetória descendente tanto na fertilidade quanto na saúde geral dos homens.

Para o estudo, a equipe analisou dados de 53 países. A preocupação acerca da redução na produção de esperma chamou a atenção durante a pandemia, e uma atenção significativa foi trazida a essa questão pela desinformação de que a vacina contra covid-19 supostamente afetava a qualidade do esperma.

“Temos um problema sério em mãos que, se não for mitigado, pode ameaçar a sobrevivência da humanidade. Pedimos urgentemente uma ação global para promover ambientes mais saudáveis ​​para todas as espécies e reduzir as exposições e comportamentos que ameaçam nossa saúde reprodutiva”, apontam os autores do artigo.

Quantidade de esperma produzido diminuiu quase 50% ao longo das décadas (Imagem: iLexx/envato)
Quantidade de esperma produzido diminuiu quase 50% ao longo das décadas (Imagem: iLexx/envato)

Através de uma análise de 223 estudos diferentes, a equipe pôde identificar a qualidade do esperma de 1973 a 2018 e em vários continentes diferentes, apenas para descobrir que, depois de 2000, o declínio na contagem e concentração de esperma se acelerou.

“No geral, estamos vendo um declínio mundial significativo na contagem de esperma de mais de 50% nos últimos 46 anos, um declínio que se acelerou nos últimos anos”, disse Levine. Por enquanto, tudo o que sabemos do estudo é que a contagem de esperma está diminuindo, mas não o porquê. Para isso, mais estudos devem ser conduzidos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: