Mercado abrirá em 52 mins
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,48
    +1,04 (+1,26%)
     
  • OURO

    1.779,00
    +13,30 (+0,75%)
     
  • BTC-USD

    62.244,54
    +1.015,18 (+1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.452,89
    +1,26 (+0,09%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.210,50
    +6,67 (+0,09%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.349,25
    +58,75 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4182
    +0,0267 (+0,42%)
     

Quantas vezes a China já baniu o Bitcoin?

·4 minuto de leitura

Desde 2009 a China vem brigando para manter o yuan como a única moeda usada no país, proibindo que seus cidadãos tenham qualquer tipo de poder de escolha.

O discurso é o mesmo em todos os banimentos: proteger a economia do país e cuidar do bem estar social.

Neste artigo reunimos os maiores eventos relacionados entre a China e a sua política de proibição em relação a moedas digitais e criptomoedas em ordem cronológica.

2009, junho – China proíbe moedas virtuais

Embora o Bitcoin não fosse nada popular, tendo sido criado poucos meses antes dessa intervenção, esta foi a primeira vez que o governo chinês usou o termo “moeda virtual” e claro, proibiu o seu uso.

China proíbe moedas virtuais, 2009. Fonte: The Wall Street Journal
China proíbe moedas virtuais, 2009. Fonte: The Wall Street Journal

Na verdade, o primeiro banimento da China foi causado por jogos online, cujo tanto seus créditos quanto itens dentro de jogos eram negociados com a moeda local, o yuan.

Apesar disso, é claro que o Bitcoin já se enquadrava em tal lei.

2013, novembro – China restringe o uso de Bitcoin por bancos

Este é considerado como o primeiro banimento do Bitcoin pois foi focado nele. Na época, o preço do Bitcoin estava alcançando novas máximas e as exchanges locais, como a Huobi e OKCoin, estavam tendo mais volume de negociação.

China proibe bancos de usarem Bitcoin, 2013. Fonte: The New York Times
China proibe bancos de usarem Bitcoin, 2013. Fonte: The New York Times

O foco do governo foi impedir que os bancos usassem o Bitcoin como moeda, alegando que o Bitcoin era mais um commodity virtual do que uma moeda propriamente dita.”

O preço do Bitcoin despencou.

2014, abril – Bancos chineses congelam contas de exchanges

Nesta ocasião, os bancos chineses pararam de oferecer serviços as exchanges, não permitindo que os usuários realizassem depósitos de moeda fiduciária para as corretoras.

Bancos chineses param de trabalhar com exchanges, 2014. Fonte: The Wall Street Journal
Bancos chineses param de trabalhar com exchanges, 2014. Fonte: The Wall Street Journal

Dias após, o governador do PBCO afirmou que não baniria o Bitcoin.

2017, fevereiro – China congela contas de exchanges

O governo chinês voltou a pressionar o mercado nacional, exigindo que exchanges cumprissem normas rígidas, semelhantes as do mercado de forex, para continuar operando.

China congela saques de exchanges, 2017. Fonte: The Wall Street Journal
China congela saques de exchanges, 2017. Fonte: The Wall Street Journal

As três maiores exchanges do país tiveram que suspender as suas atividades até que o governo desse permissão.

2017, setembro – China bane ICOs

Com a popularização das ICOs (Initial Coin Offerings), o mercado de criptomoedas estava animado novamente graças a este caso de uso. Como sempre, a China não gostou.

China proíbe que cidadãos participem de ICOs, 2017. Fonte: BBC
China proíbe que cidadãos participem de ICOs, 2017. Fonte: BBC

O banimento das ICOs não foi o único daquele ano, sendo seguido pelo banimento de exchanges.

2017, setembro – China fecha exchanges

Todas as exchanges que estavam operando em Pequim e Xangai foram obrigadas a apresentar planos de encerramento de suas atividades.

China fecha exchanges, 2017. Fonte: BBC
China fecha exchanges, 2017. Fonte: BBC

Mesclado ao banimento das ICOs, a China mostrava-se indignada enquanto o Bitcoin vivia um bom ano.

2021, maio – China bane instituições financeiras e empresas de pagamento

Em maio deste ano, a China começava a sua série de banimentos, começando por instituições financeiras e companhias de pagamentos.

Determinando que estas não poderiam realizar qualquer atividade que envolvesse o uso de Bitcoin ou outra criptomoedas.

China bane instituições financeiras, 2021. Fonte: Reuters.
China bane instituições financeiras, 2021. Fonte: Reuters.

2021, maio – China expulsa mineradores

Novamente o Bitcoin estava vivendo um bom momento e novamente a China encontrou uma forma de freiar a adoção do Bitcoin em seu país, desta vez proibindo a mineração de BTC.

China bane mineradores de Bitcoin, 2021. Fonte: CNBC
China bane mineradores de Bitcoin, 2021. Fonte: CNBC

A proibição resultou em um êxodo da mineração, com grande parte do hashrate do Bitcoin sendo movido para outros países.

2021, setembro – China bane negociação de criptomoedas

Em seu último golpe, até o momento, a China proibiu que seus cidadãos negociassem Bitcoin e outras criptomoedas, seja de forma local ou internacional.

China bane trading, 2021. Fonte: Reuters
China bane trading, 2021. Fonte: Reuters

Diante de uma crise imobiliária, o país parecia ter esquecido de proibir seus cidadão de mais atividades, desta vez a negociação de criptoativos. A data também é marcada por um cerco a mineradores ilegais que ainda atuam no país.

Embora a China tente proibir a adoção do Bitcoin por seus cidadãos, e suas decisões consigam influenciar o sentimento do mercado a curto prazo, o Bitcoin continua crescendo forte, apresentando tanto mínimas quanto máximas mais altas a cada novo ciclo.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos