Mercado fechará em 3 h 52 min
  • BOVESPA

    118.689,90
    -956,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.377,65
    +251,94 (+0,56%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,86
    -0,45 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.864,20
    -2,30 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    31.292,42
    -2.209,68 (-6,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    623,25
    -56,65 (-8,33%)
     
  • S&P500

    3.850,49
    -1,36 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    31.178,20
    -10,18 (-0,03%)
     
  • FTSE

    6.733,93
    -6,46 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    +285,48 (+0,96%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.322,25
    +28,00 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4974
    +0,0894 (+1,40%)
     

Quantas horas devo deixar a bateria do celular carregando?

Bruno Salutes
·5 minuto de leitura

Atualmente, os celulares se tornaram parte do cotidiano das pessoas e, em muitos casos, se tornaram companheiros inseparáveis. Juntando isso com uma série de mitos antigos, não é raro encontrar usuários que ainda possuem dúvidas sobre a recarga da bateria do celular.

Então, por quanto tempo é possível deixar a bateria do celular carregando? Dá para estragar um aparelho deixando ele ligado na tomada a noite toda? Como manter a vida útil da bateria e evitar o desgaste desse componente?

As respostas para estas perguntas não são tão complexas quanto aparentam: o mais recomendado por especialistas e fabricantes é respeitar sempre os ciclos de bateria. Abaixo, você pode conferir quando você deve colocar o seu celular para carregar e o que dizem as empresas sobre este assunto!

O que são os "ciclos" da bateria

É comum, quando se fala em bateria de celular, tentar evitar que ela “vicie”, perdendo rapidamente sua capacidade completa de carga por conta de um uso inadequado. Essa, porém, é uma relíquia do passado da tecnologia chamada de “efeito memória”, existente em baterias antigas de níquel cádmio (NiCd) ou níquel-hidreto metálico (NiMH).

Apesar de esse tipo de célula ainda ser usada em pilhas recarregáveis, nos smartphones, essa combinação não é mais a norma há pelo menos 10 anos. Mais do que perderem a capacidade de carga com mais facilidade, essa antiga composição tinha vida útil menor, e era mais poluente quando descartada inadequadamente na natureza.

Baterias de lítion-ion são a norma nos dias de hoje, por serem mais duráveis e não terem "efeito memória" (Imagem: YouMobile)
Baterias de lítion-ion são a norma nos dias de hoje, por serem mais duráveis e não terem "efeito memória" (Imagem: YouMobile)

Hoje em dia, o mercado de celulares e a indústria de dispositivos tecnológicos adota como padrão baterias de Lítio-íon (Li-ion), que são mais leves, menores e, ainda por cima, possuem maior capacidade de carga.

As baterias são, essencialmente, células de reação química que geram energia. E, como nada é infinito na natureza, os componentes de Li-ion também possuem sua vida útil limitada, contada em ciclos de recarregamento.

Basicamente, um ciclo é contado quando ele vai de 100% até 0 e, em seguida, carregado novamente até os 100%. Em termos mais práticos, se você deixou a bateria descarregar até a metade e depois a carregou até a totalidade, você utilizou apenas meio ciclo.

Porém, na maioria dos dispositivos, é recomendado que você não deixe a bateria descarregar por completo, pois isso pode danificá-lo. Por isso, é recomendado que você dê cargas menores para garantir que um ciclo não seja rapidamente gasto.

As características e capacidades dos dispositivos variam entre as fabricantes, mas, de maneira geral, uma bateria é construída para ter uma vida útil de 500 a 600 ciclos antes de começar a apresentar problemas, sejam eles quais forem.

Os problemas podem variar desde uma redução na autonomia máxima, até uma menor quantidade de energia sendo entregue ao dispositivo, resultando em lentidão e funcionamento anormal do sistema operacional.

O que as fabricantes dizem

Além do uso de carregadores originais ou certificados, prestar atenção no ciclo de descarregamento é uma boa para ampliar a vida útil da bateria (Imagem: Divulgação/Apple)
Além do uso de carregadores originais ou certificados, prestar atenção no ciclo de descarregamento é uma boa para ampliar a vida útil da bateria (Imagem: Divulgação/Apple)

Até agora, estamos falando de recomendações e estimativas gerais, que valem de maneira genérica para todo o mercado de dispositivos eletrônicos. Mas, cada empresa do setor tem sua própria abordagem quanto à como seus usuários devem lidar com a bateria dos dispositivos. Confira abaixo:

Apple

Em uma página dedicada somente às baterias em seu site oficial, a Apple recomenda que, além do uso de carregadores e cabos originais ou certificados, o usuário retire o aparelho da capa na hora de carregar seus aparelhos.

É importante, também, evitar condições extremas durante a utilização e recarga dos dispositivos. O ideal é que iPhones e iPads sejam utilizados entre 0 e 35 °C, visto que temperaturas acima disso podem interferir permanentemente na carga e autonomia da bateria. Tratando-se de temperaturas abaixo de zero, os efeitos também são sentidos, mas apenas até que o aparelho retorne à operação em ambiente ideal.

Samsung

Em seu site de suporte, a Samsung aponta que deixar o smartphone descarregar completamente antes de ligá-lo à tomada pode causar danos ao componente. A recomendação é que o dispositivo seja recarregado sempre que estiver abaixo da marca dos 20%.

Motorola

A Motorola, por outro lado, não dá indicações desse tipo, e deixa os usuários livres para recarregarem seus aparelhos quando quiserem, desde que isso seja feito apenas com fontes certificadas ou originais da empresa.

LG

Em um guia de boas práticas, a LG também segue a mesma linha da Motorola, mas reforça a recomendação para que o smartphone não seja conectado à tomada durante tempestades ou em uma instalação elétrica inadequada.

Xiaomi

No Guia do Usuário, a Xiaomi sugere que, quando a bateria estiver fraca, o cabo carregador deve ser conectado ao celular e desconectado quando a bateria estiver totalmente carregada. A empresa também reforça o uso de cabos licenciados, pois, cabos alternativos podem danificar o seu dispositivo.

Outras boas práticas

Evite usar o celular durante o carregamento e retire-o da tomada quando a carga atingir 100% (Imagem: Matheus Bigogno/Canaltech)
Evite usar o celular durante o carregamento e retire-o da tomada quando a carga atingir 100% (Imagem: Matheus Bigogno/Canaltech)

Mais comportamentos comuns também podem auxiliar na preservação da vida útil da bateria do seu celular. De acordo com especialistas e indicações das próprias fabricantes, evite conectar o seu celular à tomada durante tempestades ou momentos de oscilação elétrica, pois isso pode causar diversos danos internos.

Outro alerta é para aqueles que deixam o celular carregando a noite inteira. Isso pode não apenas consumir mais ciclos de bateria, mas causar acidentes. O ideal é desconectar o celular e tirar o carregador da tomada quando não precisar mais usá-lo. Além da segurança, isso também proporciona uma pequena economia de energia elétrica.

Assim como é bom não manter o aparelho conectado depois de atingir carga completa, é recomendado não utilizá-lo constantemente durante o processo, uma vez que o uso também consome energia, alongando o tempo de espera e entrando no caminho do sistema de ciclos.

Desta maneira, você pode cuidar melhor da bateria do seu celular, respeitando os ciclos de carga e ainda melhorar a vida útil do seu dispositivo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: