Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.718,81
    -487,78 (-0,93%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,10
    -2,55 (-3,01%)
     
  • OURO

    1.798,80
    +5,40 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    58.833,70
    -3.438,70 (-5,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.410,18
    -64,15 (-4,35%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.597,50
    +52,50 (+0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4339
    -0,0202 (-0,31%)
     

Quando a vida voltará ao normal? CEO da Pfizer faz apostas, mas com ressalvas

·3 minuto de leitura

Após mais de um ano da pandemia do coronavírus SRS-CoV-2 e dos avanços na vacinação global contra a covid-19, já é possível pensar em quando a vida retornará ao normal. “Em um ano, penso que conseguiremos voltar à vida normal”, afirmou o CEO e presidente da farmacêutica norte-americana Pfizer, Albert Bourla, no último domingo (26). No entanto, o modo de vida pré-pandêmico pode ficar, para sempre, no passado.

Para o CEO da Pfizer, o retorno à vida normal terá algumas ressalvas. “Não acho que isso [o controle da covid-19] signifique que as variantes não continuarão surgindo, e não acho que isso signifique que devemos ser capazes de viver nossas vidas sem vacinas", afirmou, durante entrevista no programa This Week, da ABC.

Com vacinas contra a covid-19, vida poderá voltar ao normal em um ano (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato Elements)
Com vacinas contra a covid-19, vida poderá voltar ao normal em um ano (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato Elements)

De forma similar, o CEO da Moderna, Stéphane Bancel, avalia que o retorno deve acontecer em um ano. “A partir de hoje, em um ano, suponho”, afirmou ao CEO o jornal suíço Neue Zuercher Zeitung, na quinta-feira (23), quando questionado sobre sua estimativa de um retorno à vida normal.

Só que este retorno gradual apenas será possível com doses anuais das vacinas contra a covid-19, de acordo com Bourla. Com a expectativa de que as vacinas protejam por pelo menos um ano, "penso que o cenário mais provável é o da vacinação anual, mas não sabemos bem, precisamos esperar para ver os dados”, comenta o CEO da Pfizer.

Onde a vida poderá voltar ao normal com a covid-19?

Na terça-feira (21), Tom Frieden, ex-diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) — agência de saúde dos Estados Unidos — alertou para o desafio da vacinação ser, de fato, global contra a covid-19, já que países planejam as doses de reforço, mas muitas nações ainda não aplicaram nem a primeira dose em seus habitantes.

No Twitter, Fieden escreveu: "Moderna e Pfizer estão produzindo 347 milhões de doses de vacinas por mês. Nesse ritmo, eles levariam quase três anos para produzir vacinas suficientes para todos. Devemos aumentar o fornecimento de vacinas de mRNA por meio de transferência de tecnologia".

Diante desse cenário, o ex-diretor do CDC propõe que a propriedade intelectual das vacinas contra a covid-19 seja compartilhada e, dessa forma, a produção dos imunizantes atinja níveis que podem suprimir a demanda global. “Enquanto se concentram na venda de vacinas caras para países ricos, Moderna e Pfizer não estão fazendo quase nada para fechar a lacuna global no fornecimento de vacinas", destacou.

Segundo a plataforma Our World in Data, apenas 44,5% da população mundial recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19. Diante do cenário global, 2,2% das pessoas em países de baixa renda tiveram pelo menos uma dose de algum imunizante aplicado. Dessa forma, é provável que este cenário daqui a um ano não seja igual para todos os países.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos