Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,27
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.866,70
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.678,95
    -2.840,08 (-6,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.195,01
    -2,91 (-0,24%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.295,75
    -7,75 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4106
    +0,0007 (+0,01%)
     

Qualidade das lavouras de milho 2ª safra piora no Paraná por falta de chuva

Nayara Figueiredo
·2 minuto de leitura

Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) - A falta de chuvas no Paraná já prejudica a qualidade do milho segunda safra 2020/21, cujo plantio está em vias de terminar, enquanto produtores definem se continuam a semear as últimas áreas do cereal ou se o susbstituem pelo trigo, informou o Departamento de Economia Rural (Deral) nesta terça-feira.

No comparativo semanal, o órgão ligado ao governo estadual reduziu o percentual de áreas classificadas como boas de 92% para 76%. As áreas em condições médias, por sua vez, saíram de 7% para 21%, enquanto as lavouras consideradas ruins --com chance de perda -- passaram de 1% para os atuais 3%.

O analista do Deral Edmar Gervásio disse que, em situações pontuais, o milho "safrinha" sente impactos da estiagem, com sinais de déficit hídrico identificados ao noroeste do Paraná.

"Existe previsão de chuvas isoladas no Estado para esta semana. Se confirmado, pode diminuir a falta de água para as plantas", estimou.

Na véspera, a consultoria AgRural disse em nota que há problemas no milho segunda safra do centro-sul tanto em áreas que estão entrando em estágio reprodutivo, como em lavouras semeadas mais tarde, ainda em fase vegetativa, e parte dos produtores já fala em perda de potencial produtivo.

O plantio da safrinha permaneceu em 99% das áreas no Paraná, ante a semana anterior, conforme dados do Deral. No mesmo período de anos anteriores, a semeadura já havia sido concluída.

"É uma área muito pequena faltante, 18 mil hectares... tem relação com a estratégia do produtor que, por exemplo, declarou na pesquisa que iria plantar milho, mas no final muda de opção", afirmou o analista do Deral Edmar Gervásio.

Também pela ausência de chuvas, a semeadura de trigo no Paraná --maior Estado produtor da cultura-- não avançou na semana e segue inferior a 1%, afirmou à Reuters o analista do Deral Carlos Hugo Godinho.

"O plantio segue em regiões do leste e algumas áreas do norte do Estado. Quando chover, veremos alguma intensificação", disse.

Os volumes de chuvas previstos até o início da próxima semana no Paraná são relativamente baixos, inferiores à média histórica para o período, de acordo com dados do terminal da Refinitiv. Até a próxima segunda-feira, a maior parte do Estado verá precipitações de cerca de 10 milímetros apenas.

COLHEITA

Perto do fim, a colheita de soja alcançou 98% das áreas no Paraná, avanço de 3 pontos percentuais no comparativo semanal. No mesmo período da temporada anterior, os trabalhos estavam em 96%.

Segundo o Deral, 79% das áreas são consideradas boas e 21% médias, sem nenhum registro de lavouras em condições ruins. No entanto, em relação à semana passada houve uma queda na qualidade, visto que as áreas boas estavam em 86%.

Já a colheita do milho verão chegou a 92%, ante 88% na semana anterior. Um ano antes, o percentual era semelhante, de 91%.