Mercado fechará em 5 h 5 min
  • BOVESPA

    109.513,17
    -675,40 (-0,61%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,79
    +0,54 (+0,73%)
     
  • OURO

    1.790,30
    +7,90 (+0,44%)
     
  • BTC-USD

    16.853,46
    -157,21 (-0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,46
    -6,34 (-1,58%)
     
  • S&P500

    3.941,26
    -57,58 (-1,44%)
     
  • DOW JONES

    33.596,34
    -350,76 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.523,51
    +2,12 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.493,50
    -72,50 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5059
    +0,0272 (+0,50%)
     

Qualicorp desaba após resultado aquém do esperado, com perspectiva "desafiadora"

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da Qualicorp desabavam na bolsa paulista nesta quarta-feira, após reportar lucro líquido de 49 milhões de reais no terceiro trimestre, um recuo de 55,4% ante mesmo período do ano passado e abaixo das expectativas.

Às 11:32, os papéis caíam 11,79 %, a 7,18 reais, respondendo pelo pior desempenho do Ibovespa, que cedia 0,6%.

"No geral, as tendências permaneceram negativas para crescimento e lucratividade", afirmaram os analistas do Bradesco BBI Marcio Osako e Caio Rocha, em relatório a clientes, mantendo visão mais cautelosa acerca do momentum dos resultados.

"A perspectiva é desafiadora, pois os grandes aumentos de preços e a fraca demanda devido a restrições de renda devem continuar em 2023", afirmaram os analistas, que têm recomendação "neutra" para as ações, com preço-alvo de 11 reais.

De acordo com o analista do Safra Ricardo Boiati foi um "trimestre difícil", com cancelamentos mais altos após fortes aumentos de preços.

"Além de uma taxa de 'churn' (cancelamento) persistentemente alta, o crescimento da receita foi prejudicado por condições macroeconômicas desfavoráveis", afirmou em relatório a clientes, reduzindo o preço-alvo das ações de 15,90 para 9 reais.

"Mantemos uma recomendação 'neutra' para a ação, pois não vemos uma tendência clara de consistente melhora no crescimento da receita daqui para frente e uma desalavancagem operacional contínua deve continuar pressionando as margens."

(Por Paula Arend Laier)