Mercado abrirá em 7 h 24 min
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,01
    -0,14 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.741,20
    +4,90 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    62.890,01
    -794,71 (-1,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.371,27
    -4,51 (-0,33%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -278,91 (-0,97%)
     
  • NIKKEI

    29.641,90
    +20,91 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    13.825,50
    +26,75 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7693
    -0,0036 (-0,05%)
     

Qualcomm pode atrasar chips em mais de 7 meses; parceria com a TSMC é firmada

Renan da Silva Dores
·2 minuto de leitura

Não é novidade que toda a indústria de tecnologia vem sofrendo com a escassez de componentes, por inúmeros motivos. Além do impacto da pandemia nas linhas de produção, também pode-se citar a nova valorização das criptomoedas, que levaram os criptomineradores a adquirirem componentes em massa, e até mesmo o isolamento social, que incentiva os usuários a buscar novos meios para se distrair.

Os casos de escassez mais conhecidos são de GPUs e processadores da AMD e Nvidia, mas outras gigantes também estão tendo de se readaptar. Exemplo disso é o adiamento da estreia do novo Galaxy Note da Samsung, e agora também da Qualcomm, responsável pelos chips que equipam grande parte dos smartphones. Segundo fontes do site DigiTimes, a dona dos chips Snapdragon está com dificuldades de atender seus clientes.

Chips irão atrasar em 30 semanas

O portal sugere que a Qualcomm tem definido tempos de espera extremamente longos para as fabricantes, que superam as 30 semanas, ou mais de sete meses. Tamanho prazo é crítico no mundo da tecnologia, considerando o esquema de lançamentos anuais dos smartphones e chipsets. A explicação residiria nas fundições, como a TSMC e a própria Samsung, responsáveis pela fabricação dos componentes.

Em virtude da escassez, fabricantes consumidoras dos chips Snapdragon estariam enfrentando prazos de entrega de mais de sete meses (Imagem: Divulgação/Qualcomm)
Em virtude da escassez, fabricantes consumidoras dos chips Snapdragon estariam enfrentando prazos de entrega de mais de sete meses (Imagem: Divulgação/Qualcomm)

Em tempos normais, as fundições estariam operando em elevada capacidade, mas com margem suficiente para atender emergências, como a situação atual. No entanto, ambas já estão trabalhando em 100%, sem brechas para aumentar a produção. Ainda assim, isso não quer dizer que as fabricantes não estão se mexendo, e a Qualcomm pode ter encontrado uma solução.

Nova parceria com a TSMC

Ainda de acordo com o DigiTimes, a Qualcomm teria estabelecido um acordo de grande importância com a TSMC, em que a fundição taiwanesa fabricaria com urgência uma leva de processadores high-end 5G. Não se sabe exatamente quais os chips serão produzidos, mas o acordo tem grandes implicações, considerando que a Samsung é a atual responsável pelos processadores de alto desempenho da Qualcomm.

Segundo o DigiTimes, TSMC e Qualcomm fecharam um acordo de grandes implicações para a produção emergencial de chips Snapdragon (Imagem: Divulgação/TSMC)
Segundo o DigiTimes, TSMC e Qualcomm fecharam um acordo de grandes implicações para a produção emergencial de chips Snapdragon (Imagem: Divulgação/TSMC)

Além disso, a própria TSMC já atende a outras fabricantes que estão enfrentando situações semelhantes, como a já citada AMD. A suposta parceria também reacende teorias de que a Qualcomm pode eventualmente abandonar a Samsung e realocar sua produção para a fundição taiwanesa, ainda que rumores recentes tenham sugerido que a gigante sul-coreana seguiria encarregada pela próxima geração de processadores Snapdragon.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: