Mercado fechado

Qualcomm conclui compra da NUVIA e promete núcleos customizados para 2022

Renan da Silva Dores
·3 minuto de leitura

A Qualcomm anunciou nesta terça-feira (16) que acaba de concluir a compra da NUVIA, fabricante de chips iniciante que tem entre seus integrantes um ex-engenheiro dos processadores da Apple. A transação, de US$1,4 bilhão (cerca de R$ 7,8 bilhões em conversão direta), havia sido anunciada originalmente em janeiro, mas ainda aguardava análise dos órgãos de defesa econômica. Com a equipe da NUVIA agora oficialmente integrada à Qualcomm, a gigante aproveitou a oportunidade para revelar alguns de seus planos.

No comunicado, a empresa confirmou que a primeira plataforma Qualcomm Snapdragon a contar com tecnologia da NUVIA entrará em fase de testes na segunda metade de 2022. O chipset em questão focará na alta performance e será destinada em um primeiro momento aos laptops ultra portáteis. Apesar disso, a fabricante confirmou que os novos núcleos customizados chegarão eventualmente aos smartphones.

Qualcomm Technologies espera integrar a próxima geração de CPUs em um amplo portfólio de produtos, incluindo smartphones topo de linha, laptops, e cockpits digitais, bem como Advanced Driver Assistance Systems, realidade estendida, e soluções de infraestrutura de rede - Qualcomm Technologies

Seguindo as previsões da Qualcomm, podemos esperar que a nova geração de chips Snapdragon deve chegar aos consumidores apenas em 2023, quando a fase de produção em massa deve ser iniciada. Apesar da longa espera, os resultados prometem ser promissores, devendo colocar a gigante dos processadores em um patamar similar ou possivelmente superior ao da Apple e suas soluções ARM.

NUVIA: o futuro da Qualcomm e o embate com a Apple

A NUVIA foi fundada em 2019 pelo ex-diretor sênior de arquitetura dos chipset Apple A, Gerard Williams III. O engenheiro esteve por trás dos projetos da Maçã de 2009 a 2019, estando envolvido com o desenvolvimento da linha desde o Apple A7 ao recente Apple A14, e até mesmo do Apple M1. Acompanham Gerard os veteranos John Bruno e Manu Gulati, que também fizeram parte do quadro de funcionários da Apple, além de Google, ARM, Broadcom e AMD.

A NUVIA pode ser crucial para a Qualcomm no embate com a Apple (Imagem: Reprodução/AnandTech)
A NUVIA pode ser crucial para a Qualcomm no embate com a Apple (Imagem: Reprodução/AnandTech)

A equipe de especialistas reuniu grandes nomes dos mais variados times de design de CPUs da indústria, e planejava entrar no mercado de chips para servidores com o núcleo Phoenix, baseado na arquitetura ARM. Nos materiais de divulgação, a NUVIA prometia que seu Phoenix era capaz de entregar até 50% mais desempenho que os aclamados núcleos Zen 2 da AMD consumindo impressionantes 66% menos energia. Os resultados despertaram a curiosidade da indústria, e sem dúvida foram o fator decisivo para a aquisição da Qualcomm.

O núcleo Phoenix da NUVIA promete até 50% mais desempenho que o Zen 2 da AMD consumindo 66% menos energia (Imagem: Divulgação/NUVIA)
O núcleo Phoenix da NUVIA promete até 50% mais desempenho que o Zen 2 da AMD consumindo 66% menos energia (Imagem: Divulgação/NUVIA)

Caso as alegações da NUVIA se comprovem, a dona do Snapdragon pode abalar o mercado e, em especial, a Apple e seu M1. O processador da gigante de Cupertino impressiona pela elevada performance que rivaliza soluções mais potentes baseadas em instruções x86, incluindo o recente Ryzen 7 5800X com sua arquitetura Zen 3, e tudo indica que a Qualcomm pode estar pronta para enfrentar a Maçã em pé de igualdade.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: