Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.927,60
    -2,40 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    22.920,72
    -30,01 (-0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Qual a verdadeira idade do seu cérebro? Novo estudo pode ajudar a descobrir

Em novo artigo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), pesquisadores apresentam uma inteligência artificial capaz de analisar imagens cerebrais de ressonância magnética e mensurar o nível de declínio cognitivo, ou seja: calcular a "verdadeira idade" do cérebro de uma pessoa. Isso pode ajudar a identificar possíveis riscos à saúde.

O que acontece é que o envelhecimento cerebral pode indicar o risco de doenças neurodegenerativas, e através dessa nova técnica, os pesquisadores podem detectar marcadores sutis de anatomia cerebral que se correlacionam com o declínio cognitivo.

“As pessoas envelhecem em ritmos diferentes, assim como os tipos de tecidos do corpo. A mesma ideia se aplica ao cérebro. O cérebro de uma pessoa de quarenta anos pode parecer tão 'jovem' quanto o de uma pessoa de trinta anos, ou pode parecer tão 'velho' quanto o de uma pessoa de sessenta anos", explicam os responsáveis pelo artigo.

Para colocar em prática a nova tecnologia, os pesquisadores treinaram para produzir mapas anatômicos que revelam padrões específicos de envelhecimento, e então compararam as idades cerebrais (biológicas) com as idades reais (cronológicas) dos participantes do estudo.

Novo estudo pode ajudar a descobrir qual a verdadeira idade do seu cérebro (Imagem: Freepik)
Novo estudo pode ajudar a descobrir qual a verdadeira idade do seu cérebro (Imagem: Freepik)

Os resultados mostram que o modelo da equipe pode prever as verdadeiras idades (cronológicas), e os envolvidos na pesquisa afirmam que, quanto mais cedo pudermos identificar pessoas com alto risco de doença neurodegenerativas, como o Alzheimer, mais cedo os médicos poderão intervir com opções de tratamento.

"O que torna a IA especialmente poderosa é sua capacidade de captar características sutis e complexas do envelhecimento que outros métodos não conseguem e que são fundamentais para identificar o risco de uma pessoa muitos anos antes de ela desenvolver a doença”, concluem os autores.

Anteriormente, um estudo de Harvard tentou entender por que o cérebro de algumas pessoas envelhece menos. Os pesquisadores se concentraram em duas regiões do cérebro: o giro fusiforme (responsável pelo reconhecimento de rostos) e o giro para-hipocampal (relacionado com ao reconhecimento de cenários). O estudo investigou atividade cerebral funcional durante as fases de aprendizagem e recuperação de uma tarefa de memória de reconhecimento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: