Mercado fechará em 1 h 48 min
  • BOVESPA

    113.169,07
    +896,06 (+0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.504,22
    -17,21 (-0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,53
    +0,63 (+0,81%)
     
  • OURO

    1.942,90
    +3,70 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    23.117,18
    -81,19 (-0,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    525,00
    +6,21 (+1,20%)
     
  • S&P500

    4.041,06
    +23,29 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    33.786,56
    +69,47 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.771,70
    -13,17 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    21.842,33
    -227,40 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    27.327,11
    -106,29 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.056,25
    +88,25 (+0,74%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5280
    -0,0190 (-0,34%)
     

Qual o papel da IoT para impulsionar a indústria 4.0?

O termo Internet das Coisas (IoT) é mais antigo do que se imagina. Para se ter uma ideia, o dispositivo IoT mais antigo que se tem notícia é uma torradeira que podia ser controlada pela internet, criada no final dos anos 90. Foi um sucesso. Mas a pergunta que valeu milhões depois disso foi: o que mais poderia se conectar à internet?

Não demorou para entender que seria possível conectar qualquer coisa que tenha um protocolo eletrônico de comunicação embutido, seja bluetooth, Wi-Fi, ou mesmo por fios, e consiga executar funções como acender e desligar uma lâmpada com comando de voz, assim como deixar uma rotina programada para ligar as luzes pela manhã, acionar a cafeteira e levantar a cortina do escritório para começar a trabalhar.

Do lado da indústria, a visão de oportunidade também chegou rápido. A ideia de conectar máquinas que pudessem fazer auto gerenciamento de trabalho, além de se conectarem a outros dispositivos para agilizar processos, era um diferencial imenso perante a concorrência. E no conceito de indústria 4.0, onde a automação é o carro chefe, aliada à inteligência artificial (IA), a IoT é um ecossistema que oferece um mundo de possibilidades para conectar plataformas em nuvem, processos, robôs e outros dispositivos onde a imaginação é o limite.

A IoT dentro da indústria 4.0 já ganhou a sigla IIoT, ou, Internet das Coisas Industrial. Com um forte foco na conectividade máquina a máquina, aliada ao big data e aprendizado de máquina, ela permite que indústrias e empresas tenham mais eficiência e confiabilidade em suas operações. Portanto, a IIoT é complementar à Indústria 4.0, ou seja, pressupõe que as máquinas estão conectadas em uma rede onde o compartilhamento de dados é o maior benefício e possibilita tomadas de decisões mais estratégicas e assertivas.

Indo além de tomada de decisões, a conexão de dispositivos inteligentes na indústria, em conjunto com a IA, impulsiona os negócios a um patamar nunca visto antes. Ela aumenta incrivelmente a produtividade, diminui o número de falhas e acidentes, levando a uma economia de tempo e dinheiro.

Indústria será totalmente transformada com a internet das coisas (Imagem: Kateryna Babaieva/Pexels)
Indústria será totalmente transformada com a internet das coisas (Imagem: Kateryna Babaieva/Pexels)

Um exemplo de uso da IoT na indústria 4.0 é a manutenção preditiva. Equipamentos críticos parados por longos períodos, por motivo de manutenção manual, geram custos altos e perdas na produção. A IoT auxilia com dispositivos e sensores colocados no chão de fábrica, onde os dados coletados desses equipamentos são analisados ​​em um ambiente de nuvem seguro, otimizando a manutenção, detectando possíveis falhas em peças antes de acontecer um problema.

Mas esse exemplo é apenas a ponta do iceberg. Atualmente, especialistas já avaliam uma infinidade de oportunidades prontamente disponíveis da IoT nas indústrias. Alguns exemplos são a fabricação de dispositivos médicos, gerenciamento de ativos, transporte e logística (T&L), monitoramento de frete, aviação, sistemas de monitoramento da cadeia de suprimentos, rastreamento de veículos/transportes, rede inteligente para eletricidade, petróleo e gás, serviços habilitados para dados, robótica, mineração, agronegócio, controle de equipamentos, sistemas e aplicativos à distância com uso de celular, só para citar algumas aplicações. Em todas elas, os maiores benefícios que a IoT traz são: aumentar a eficiência, reduzir erros, manutenção preditiva, melhor segurança e redução de custos.

Ignorar isso, ainda Para ter uma ideia em números, uma pesquisa do McKinsey Global Institute prevê que o impacto econômico da IoT nas indústrias chegará a US$ 11 trilhões até 2025, e uma grande parte disso deve residir em aplicativos comerciais e industriais.

No Brasil, um estudo de setembro de 2022, da CETIC, mostra que mais de 70 mil empresas já utilizaram, ao menos, uma solução de IoT. 85% delas usam para segurança patrimonial. 44% usam para gerenciamento de consumo de energia. No centro estão a gestão de logística (39%), manutenção de equipamentos (38%) e atendimento ao cliente (31%). Por último está o controle de processos de produção, com 29% das empresas usando essa solução.

Diante disso, fica claro que a IoT nas indústrias é essencial para alavancar negócios, sejam quais forem. A IA, nuvem e aplicações com aprendizado de máquina, mais do que nunca, precisam receber e processar dados de “coisas”, de dispositivos que coletam dados e geram insights automaticamente para os gestores de uma empresa. E isso permite uma maneira mais eficiente para que as organizações reajam às mudanças do mercado de forma mais rápida e eficiente. Quem ficar de fora dessa realidade corre sério risco de ficar permanentemente atrás da concorrência.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: