Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.361,89
    +2.374,59 (+6,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Qual a célula de origem do câncer cerebral infantil?

·2 minuto de leitura
Qual a célula de origem do câncer cerebral infantil?
Qual a célula de origem do câncer cerebral infantil?

A Universidade de Trento está descobrindo mais informações sobre meduloblastoma, que é o câncer cerebral maligno mais comum em crianças e que afeta o sistema nervoso central. Pela primeira vez, os cientistas desenvolveram organoides em laboratório para simular o tecido tumoral e também identificaram o tipo de célula da qual o tumor pode se originar. O objetivo é descobrir qual a célula de origem do câncer cerebral infantil.

O coordenador do estudo, Luca Tiberi, se orgulha do resultado: “Pela primeira vez, usamos um modelo organoide que criamos e desenvolvemos nos últimos meses”. Ele explicou que foi “graças a esses tecidos cancerígenos in vitro em 3D” que foi possível identificar o tipo de célula que pode se desenvolver em meduloblastoma.

Os organoides são cultivados nos laboratórios da Universidade de Trento, gerados a partir da pele ou das células sanguíneas. Os cientistas os usam para compreender os mecanismos genéticos responsáveis ​​pelo câncer cerebral e para explorar novos tratamentos para doenças incuráveis.

Leia mais:

Sendo assim, as descobertas podem levar a avanços na pesquisa do câncer cerebral e, no futuro, podem ser usadas para estudar outros tumores em um ambiente de laboratório com menos custo.

O que são organoides?

Os organóides são gerados a partir da pele ou das células sanguíneas e parecem bolas irregulares do tamanho de um amendoim. Portanto, não são agregados celulares e sim, células especializadas e organizadas que replicam o máximo possível o órgão em estudo.

Esses modelos tridimensionais permitem que os cientistas façam pesquisas em um ambiente de laboratório. É por isso que a equipe de pesquisadores do Laboratório Armenise-Harvard do Departamento de Biologia Celular, Computacional e Integrada – Cibio da Universidade de Trento usou organoides para entender os mecanismos genéticos do câncer cerebral na infância e para encontrar novos tratamentos para esses quase condições intratáveis.

Os tumores cerebrais são a primeira causa de morte por câncer em crianças, pois são muito agressivos e exigem uma abordagem multidisciplinar e integrada. Embora um progresso significativo tenha sido feito no tratamento desses tumores, os pacientes sobreviventes podem sofrer efeitos colaterais de longo prazo que comprometem significativamente sua qualidade de vida.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos