Mercado fechado

Quais as vantagens e desvantagens do coworking?

·5 min de leitura

O coworking é uma das melhores alternativas de local de trabalho para empreendedores autônomos ou quem deseja dar uma "fugidinha" do home office. É um espaço compartilhado com aluguel definido por mês, caso deseje ir todo dia útil ou várias vezes por semana; ou por hora, se a intenção é usar o local apenas em ocasiões especiais. Economia e praticidade são algumas de suas vantagens, enquanto a pouca privacidade e a pouca flexibilidade surgem como problemas.

Aqui no Brasil, a tendência surgiu em meados de 2008, com os primeiros coworkings surgindo em São Paulo. Segundo um levantamento de 2019 do site Coworking Brasil, havia na época 1.497 escritórios compartilhados no Brasil. Muitos deles são locais geridos por uma empresa independente, enquanto outros funcionam em aceleradoras e hubs de inovação para abrigar startups iniciantes.

Este setor foi bastante impactado na pandemia de covid. Este mercado perdeu cerca de 53% do faturamento durante o auge da quarentena, em 2020. Apesar disso, houve uma redução média de 38% no total de contratos cancelados, uma porcentagem um pouco menor. Muitos desses espaços tiveram que apelar para não fechar, como descontos para convencer os coworkers a permanecerem; carência para o pagamento das mensalidades; parcelamento de valores em aberto e diluição dos seguintes; e cupons referentes a valores já pagos que poderiam ser usados no futuro. Os dados também são do Cowoking Brasil.

Conheça em detalhes alguns dos prós e contras do coworking para fazer a melhor escolha na hora de trabalhar.

Vantagens

Economia de custos

Os custos para montar e alugar um escritório são muito altos. Se você quer usufruir de um local com estilo e estrutura parecidos com a de um escritório, o coworking serve bem para esse fim, e custa muito menos que manter um local fixo. No Brasil, uma estação de trabalho individual num espaço compartilhado custa em média R$ 650 por mês.

Mais flexibidade

Se você não quiser pagar por mês porque não usufruirá do espaço todos os dias, você tem a possibilidade de usar por hora. Pode usar — e pagar — por hora desde as salas e mesas compartilhadas para várias pessoas quanto alugar apenas uma sala de reunião. Só lembre-se que o preço da hora costuma ser proporcionalmente mais caro que a mensalidade.

Menos burocracia

Não são apenas os custos que incomodam na hora de criar um escritório próprio. A burocracia também: obter toda a papelada para regulamentar o local como sede de uma empresa pode ser um pouco cansativo. O coworking não prescinde de nada disso se você for um mero coworker: basta um cadastro rápido, pagar pelo tempo desejado e trabalhar. Você também pode alterar a modalidade do tempo usado de acordo com suas necessidades e orçamento.

Estrutura pronta com facilidade

Montar um escritório ou mesmo criar um ambiente doméstico de trabalho também requer atenção: comprar os móveis certos, a infraestrutura de iluminação, ar condicionado, internet, banheiros, estrutura audiovisual para reuniões etc. Um bom coworking já tem tudo isso pronto para uso e com constante manutenção.

Imagem: Reprodução/Helena Lopes/Unsplash
Imagem: Reprodução/Helena Lopes/Unsplash

Networking

Essa é uma das maiores vantagens para os mais sociáveis: ir a um coworking significa ter a chance de conhecer profissionais de diversas áreas que também são coworkers. Pode-se trocar experiências com eles, ampliar sua rede de contatos e até buscar parcerias de trabalho interessantes.

"Endereço comercial"

Se você não se sente à vontade para espalhar por aí seu endereço residencial no seu cartão profissional, o coworking pode ser uma alternativa interessante enquanto você não tem o seu próprio escritório. Você pode receber futuros clientes em um ambiente preparado para isso, sem contar com distrações como seu cachorro latindo para pedir comida.

Desvantagens

Falta de privacidade

Em um escritório próprio, quem entra e sai de lá, ou mesmo os futuros acordos e contratos comentados, permanecem um assunto interno. Se você trabalha em um coworking, está sujeito a ter pessoas estranhas olhando e prestando atenção em seus movimentos e conversas profissionais.

Excesso de barulho

Este é um problema que depende basicamente de quem usa o coworking, mas pode acontecer. Alguns coworkers podem falar mais alto ou ter uma conduta de trabalho mais indiscreta do que os demais frequentadores. Com isso, as distrações perigam ser constantes.

Menos flexibilidade de horário

A grande maioria dos espaços compartilhados funcionam em horário comercial; ou seja, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h no máximo. Se você é da turma do trabalhe-enquanto-eles-dormem e prefere virar a noite ou esticar o job no final de semana, você vai precisar tocar essa parte em casa mesmo.

Deslocamento

Ok, o coworking pode ser muito legal, mas convenhamos: não há lugar como o nosso lar, como diria Dorothy Gale em "O Mágico de Oz". Se você é um cara muito acostumado ao conforto e privacidade de seu apartamento, com direito a trabalhar de pijama e comer lanches com qualquer cheiro, e sobretudo tem muita preguiça de se deslocar para trabalhar, é melhor esquecer o coworking.

O espaço jamais será seu

Ainda no tópico anterior, na sua casa você tem o controle total de como e onde guardar suas coisas. Até mesmo em um escritório de empresa dá para ter uma gaveta com chave só sua. Mas em muitos coworkings não é possível armazenar objetos caros de trabalho ou personalizar o local com toda a liberdade e segurança possíveis. Afinal, você está ali dividindo o espaço com muitos estranhos que também precisam dele. Portanto, este precisa sempre limpo e livre de bibelôs.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos