Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.974,39
    +416,72 (+0,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.920,65
    +2,37 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,53
    +0,48 (+0,67%)
     
  • OURO

    1.785,80
    +1,10 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    50.682,75
    -386,63 (-0,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.320,82
    +15,70 (+1,20%)
     
  • S&P500

    4.691,71
    +4,96 (+0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.687,22
    -32,21 (-0,09%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.352,50
    +34,50 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2842
    -0,0555 (-0,88%)
     

Quais são as vantagens e desvantagens do marketplace em relação a e-commerce?

·4 min de leitura

O e-commerce brasileiro vai bem, obrigado, mesmo com a pandemia de covid. No ano passado, o faturamento do comércio eletrônico no país cresceu 41% e levou a mais de 194 milhões de pedidos, segundo um estudo do Webshoppers (Ebit/Nielsen com Banco Bexs). Hoje os lojistas dividem-se basicamente em duas categorias: os que têm plataformas próprias para vender, e os que usam marketplaces, isto é, galerias virtuais onde várias empresas usam a mesma plataforma, geralmente de uma grande marca do varejo como Magazine Luiza ou Submarino.

Para um lojista novato, qual seria a melhor dentre essas duas opções? Para Rodrigo Garcia, diretor executivo da startup de atuação em marketplaces Petina, o ideal é investir nos dois modelos de negócios ao mesmo tempo. Mas caso isso não seja possível, Garcia defende o seu peixe, claro.

"Para performar um e-commerce próprio é muito caro, pois para obter um resultado positivo é necessário investir em tráfego, mas não é certo que tenha uma conversão em vendas. No marketplace, o empresário paga o que vendeu e o tráfego é por conta deles”, explica. Ou seja, não se trata apenas de escolher a plataforma, mas investir um tanto em marketing digital também. E nisso o marketplace, por ter uma presença digital mais consolidada, ganha vantagem.

Abaixo, Garcia enumera algumas vantagens do marketplace sobre o e-commerce. Na sequência, trazemos também as desvantagens deste modelo, segundo o Mercado Pago.

Vantagens do marketplace

Exposição de produtos

Nas grandes marcas, o site próprio representa por volta de 30% de páginas visitadas e o marketplace, 70%. Para lojas desconhecidas, esses percentuais mudam para 5% e 95%, respectivamente. Caso o investimento no tráfego do site próprio seja alto, a taxa de visualização pode aumentar, mas normalmente não chega a superar o do marketplace.

Uso da logística

Quando uma marca adere a um marketplace, automaticamente passa a usar sua logística também, incluindo emissão de nota fiscal e postagem do produto nos Correios. O envio via marketplace também garante um valor de frete mais competitivo e uma entrega mais ágil, em média, na comparação com plataformas de e-commerce menores.

Volume de tráfego

O marketplace também garante uma visibilidade online bem maior para a marca. Em períodos de alta venda como a Black Friday, podem dar resultados muito bons.

Segurança na entrega

A credibilidade de um marketplace também fala alto para parte do público, que não reconhece que por trás daquela página da Magalu ou Americanas há um lojista menor vendendo, mas por confiar nessas grandes marcas, acaba comprando com tranquilidade. Mesmo que o consumidor conheça o modelo marketplace, sente-se mais seguro para comprar porque acredita que a empresa dona da plataforma ajudará a solucionar problemas.

Imagem: Photo Mix/Pixabay
Imagem: Photo Mix/Pixabay

Desvantagens do marketplace

Nem toda plataforma é boa

É importante que o lojista saiba pesquisar bem a qualidade do serviço do marketplace antes de escolhê-lo, sobretudo a qualidade do suporte. Verifique se a plataforma tem muitos canais de atendimento, como redes sociais, e-mail, telefone, chat etc. e se os clientes têm retorno de forma rápida e satisfatória.

Preocupação com segurança

Quem compra em marketplace pode ter experiências ruins com lojistas idem. Se o lojista trabalhar com produtos importados e não os têm no estoque, a entrega pode demorar, o que causa insegurança no consumidor. Por isso, os melhores marketplaces trabalham com um prazo de pagamento aos lojistas que pode chegar a até 45 dias após a postagem ou entrega do pedido, para garantir a entrega ao cliente.

Comissão da plataforma

Os marketplaces cobram algumas taxas ou comissões sobre as lojas parceiras. Por isso, o lojista tem que ficar de olho nas regras e valores das taxas para valer se valem a pena para ele.

Competição dentro da plataforma

Como o marketplace está em alta no setor, muitos lojistas migraram para este modelo e por isso a competição é ferrenha. Daí suas vendas podem ser prejudicadas se há lojas vendendo no mesmo site o mesmo produto por preços mais baixos.

Sem personalização da página

Por funcionar como uma grande galeria, o marketplace vai ter sempre a cara da empresa dona da plataforma. Se você é um lojista que prefere personalizar a marca em tudo que faz, é melhor criar seu próprio site de compras.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos