Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.993,28
    +806,55 (+2,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Quais são as séries mais caras da Netflix?

·7 minuto de leitura

Você já se perguntou quanto custa para sua série favorita ser produzida? Parece que não, mas há muitos fatores que são capazes de deixar o orçamento de uma produção altíssimo: desde figurinos, maquiagem, cabelo, cenografia, equipamentos a salários de todos os integrantes que fazem parte do desenvolvimento. Todo centavo entra nessa conta e, dependendo da resposta da audiência, a questão financeira pode ser o motivo principal que leva uma série ser descontinuada.

Na Netflix, não é diferente. É muito necessário ter um bom investimento para ficar à frente da concorrência, e são nos detalhes que a perfeição mora. Não é novidade que o streaming é conhecido por separar uma grande fatia do orçamento para direção de arte e, às vezes, impactar mais no visual do que nas atuações e enredo em si — mesmo assim, a gigante do entretenimento não deixa de investir pesado em suas produções originais: são milhões e milhões gastos para produzir cada episódio da sua série favorita.

Mesmo investindo em produções originais desde 2013, House Of Cards e Orange is the new Black são duas de suas séries mais caras, com orçamentos entre US$ 4 milhões e US$ 5 milhões por episódio. No entanto, com o passar do tempo, o público aumentou — e, consequentemente, a demanda, o que fez o serviço de streaming abrir ainda mais os bolsos para atrair mais assinantes.

Veja abaixo a lista das 10 séries mais caras já produzidas pela Netflix e o custo de cada episódio:

10. Bridgerton

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 7 milhões

Surpreendentemente, a série que teve a melhor estreia da história da Netflix ocupa o décimo lugar no ranking de orçamentos. Trata-se de Bridgerton, romance baseado nos livros de Julia Quinn com produção de ninguém menos que Shonda Rhimes, a mente brilhante por trás de séries como Grey's Anatomy e Scandal. O drama de época se passa na Inglaterra na era da Regência, o que justifica boa parte do orçamento ser utilizado para figurino, cabelo, maquiagem e, é claro, cenário.

9. Altered Carbon

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 7 milhões

Embora o preço dos episódios de Altered Carbon estivessem sob total sigilo tanto pelos produtores quanto pela própria Netflix, o show de ficção científica teve seu orçamento vazado pouco depois do cancelamento, com uma estimativa do The Hollywood Reporter. Os US$ 7 milhões de dólares destinados a cada capítulo são nítidos em cada detalhe do show, cuja atmosfera futurista toma conta totalmente no cenário, efeitos visuais e direção de arte. Ah, vale lembrar que tem o cachê do Anthony Mackie nessa conta toda, hein?

8. Bloodline

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: entre US$ 7 milhões e US$ 8 milhões

O thriller Bloodline foi lançado na Netflix em 2015 e durou, ao todo, três temporadas, com 33 episódios. Totalmente indicada para os fãs de Ozark, a série mostra uma família que parece ser perfeita pelo lado de fora, mas diversos escândalos mortais são escondidos por baixo da superfície. Embora a produção contasse com custos de direção de arte, figurino e a locação caríssima em Florida Keys, acredita-se que o real motivo que levou ao cancelamento da trama foi o cachê do renomado elenco na frente das câmeras, composto por Kyle Chandler, Ben Mendelsohn, Linda Cardellini e Sissy Spacek.

7. Os Defensores

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 8 milhões

Embora dispense explicações por conta do elenco, Os Defensores exigiu muito mais do orçamento do que apenas os salários de Krysten Ritter, Charlie Cox, Finn Jones e Mike Colter. A Netflix já produziu séries originais utilizando os personagens da Marvel, todas elas usualmente utilizando de um orçamento fixo de US$ 40 milhões, de acordo com o ScreenRant. No entanto, a minissérie teve apenas oito episódios ao invés de 13, como aconteceu com Jessica Jones e Luke Cage, por exemplo, então estima-se que um total de US$ 8 milhões foram gastos para produzir cada episódio.

6. Sense8

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 9 milhões

Uma série cuja trama resumia-se em acompanhar oito pessoas de diferentes locais do mundo que, de alguma forma, estão conectadas poderia ser tudo, menos barata. Sense8, criação das irmãs Wachowskis e que por muito tempo fez um enorme sucesso entre os assinantes da Netflix, foi cancelada em 2018 sob a justificativa de não ter uma base sólida de fãs o suficiente para justificar o andamento da produção. Felizmente, o público (muito leal à série, por sinal), conseguiu ter uma finale de duas horas de duração para se despedir dos personagens, mas uma coisa é fato: com tantas filmagens ao redor do mundo, é mais do que esperado Sense8 estar presente nessa lista.

5. Marco Polo

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 10 milhões

Tramas épicas costumam ter uma direção de arte bem cara, o que é justificável se a produção quer se aproximar o máximo possível da fantasia retratada na tela. Em Marco Polo, o protagonista que dá nome ao show embarca numa série de aventuras na época das grandes navegações, no século XIII. O título original Netflix foi muito bem elogiado pela crítica quanto à representação da cultura mongol, mas foi cancelada logo na segunda temporada após render um rombo finaneiro de US$ 200 milhões, tornando-se o primeiro fiasco do streaming.

4. The Witcher

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 10 milhões

Não deve ser barato contratar Henry Cavill; agora adicione-o numa trama de fantasia adaptada de um videogame. O resultado, com certeza, contará com muitos zeros no orçamento. No entanto, The Witcher foi um grande acerto para a Netflix, e, embora tenha uma recepção mista da crítica, a primeira temporada foi o suficiente para agradar os fãs e dar continuidade à produção, que chega muito em breve com os novos episódios. Grandes quantidades de efeitos visuais, sobretudo em CGI, foram utilizadas ​​para trazer o mundo medieval de Geralt de Rívia às telas, e a sequência com certeza não será barata.

3. The Get Down

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 11 milhões

O cancelamento de The Get Down foi, com certeza, um dos mais tristes da Netflix. Isso porque a série do renomado diretor Baz Luhrmann (de Moulin Rouge, O Grande Gatsby e Romeu + Julieta) era trabalhada com paixão tanto pelo criador quanto pelos atores do elenco, com Justice Smith, Jaden Smith, Shameik Moore, Tremaine Brown Jr. e Skylan Brooks, que davam vida ao grupo de hip-hop The Get Down Brothers, numa Nova York de 1970. Visto desse ponto, o orçamento obviamente seria alto pela ambientação dos episódios, figurino, cabelo, maquiagem e produção da trilha sonora de episódios que foram tão longos quanto um filme. A série durou apenas uma temporada dividida em duas partes, mas cuja história conseguiu ter um encerramento.

2. Stranger Things

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 12 milhões

Produções de ficção científica geralmente possuem um altíssimo orçamento destinado aos efeitos visuais, fotografia e direção de arte. Agora, quando se é um dos carros-chefe da Netflix, obviamente se contará com quantias volumosas para ser bem produzido. É assim que Stranger Things se mantém há três temporadas (e com a quarta encaminhada para 2022): a primeira teve um orçamento US$ 6 milhões por episódio, enquanto a segunda contou com um aumento de US$ 2 milhões para cada capítulo. O cálculo é feito com base nessa linha de raciocínio, visto que a tendência é aumentar conforme a popularidade e o desenvolvimento da série aumentam.

1. The Crown

(Imagem: Divulgação / Netflix)
(Imagem: Divulgação / Netflix)

Custo por episódio: US$ 13 milhões

Sucesso da Netflix, The Crown conta com um orçamento tão luxuoso quanto a premissa e o cenário do programa. O drama histórico baseado na família Real (sobretudo na jornada da Rainha Elizabeth II e seu reinado), o figurino, maquiagem, cabelo e todo o resto da direção de arte precisam de um orçamento do nível da realeza britânica. A série, assim como Stranger Things, teve seu orçamento ampliado a cada temporada, o que deu margem para grandes nomes do cinema e da televisão fazerem parte dos novos episódios, como Gillian Anderson, Helena Bonham Carter e Olivia Colman. A escrita e a atuação foram elogiadas pela crítica e pela audiência, mas é inevitável dizer que o aspecto mais atraente do show é o cuidado com os detalhes históricos, e são nesses elementos que se encontra o acerto de uma boa produção.

Com informações: ScreenRant

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos