Mercado fechará em 3 h 37 min
  • BOVESPA

    117.494,53
    +296,71 (+0,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.220,16
    +374,33 (+0,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,29
    +0,53 (+0,60%)
     
  • OURO

    1.715,50
    -5,30 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    20.047,99
    -90,10 (-0,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,27
    -6,85 (-1,48%)
     
  • S&P500

    3.760,08
    -23,20 (-0,61%)
     
  • DOW JONES

    30.079,99
    -193,88 (-0,64%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.561,75
    -62,00 (-0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0929
    -0,0433 (-0,84%)
     

Quais são as condições ideais para o lançamento de foguetes espaciais?

Levar foguetes espaciais para além da atmosfera terrestre é uma tarefa que exige enorme quantidade de cuidados: antes de lançá-los, os membros da equipe analisam os parâmetros dos veículos para garantir que vão levar astronautas ou cargas úteis em segurança, verificam se a área de lançamento está livre de tráfego e mais. Mesmo assim, há um aspecto de enorme importância e que não pode ser controlado: o tempo.

Não é sempre possível ter céu limpo e ventos calmos, e é aí que entra o trabalho da equipe climática da NASA. Na agência espacial, estes profissionais seguem diretrizes elaboradas de acordo com condições meteorológicas variadas, como a direção do vento, os níveis de umidade e possibilidade de chuva, para levar foguetes à plataforma e lançá-los.

Raio atingindo a torre móvel de lançamentos no Centro Espacial Kennedy durante o lançamento da Apollo 12, em 1969 (Imagem: Reprodução/NASA)
Raio atingindo a torre móvel de lançamentos no Centro Espacial Kennedy durante o lançamento da Apollo 12, em 1969 (Imagem: Reprodução/NASA)

Eles monitoram os elementos meteorológicos e, se necessário, aplicam restrições ao lançamento. Caso ocorra alguma condição que traga riscos além daqueles descritos nas diretrizes, a equipe relata o evento para o diretor do lançamento, que decidirá se a operação continuará ou não.

Este cuidado faz parte das lições aprendidas ao longo do programa espacial norte-americano, que mostraram a necessidade da atenção às condições climáticas e às situações que os foguetes e naves espaciais foram projetados para resistir.

Dito isso, vamos aos critérios para um lançamento:

Condições para levar foguetes espaciais à plataforma

Antes de voar, os foguetes são preparados em instalações próprias e só saem delas na véspera do lançamento — na NASA, este local é o Prédio de Montagem de Veículos (VAB). Para um foguete ser levado do VAB à plataforma, as equipes da missão analisam como estão as previsões de raios, granizo, vento e temperatura no local.

Foguete Space Launch System saindo do VAB e sendo levado à plataforma (Imagem: Reprodução/NASA/Ben Smegelsky)
Foguete Space Launch System saindo do VAB e sendo levado à plataforma (Imagem: Reprodução/NASA/Ben Smegelsky)

Um dos critérios determina que não deve haver mais de 10% de chances de raios em uma área de 37 km ao redor do local de lançamento para o foguete ser levado à plataforma. Caso haja previsão acima de 5% de ocorrência de granizo na área do lançamento, o foguete não deverá ser deslocado até ela.

O procedimento também deverá ser suspenso se o vento soprar a mais de 74 km/h no local. Se estiver mais frio que 4,4 ºC ou mais quente que 35 ºC, o foguete espacial também não deverá ser levado para a plataforma.

Condições para o lançamento de foguetes espaciais

Tudo precisa correr bem do início ao fim da missão e, por isso, o lançamento propriamente dito tem condições ainda mais rígidas. As de temperatura, por exemplo, estabelecem que o foguete não deve ser abastecido com propelente se a temperatura média das últimas 24 horas estiver abaixo de 5,2 ºC a 40 m e a 78 m de altitude.

Gelo na plataforma antes da missão STS-51-L, com o ônibus espacial Challenger; os engenheiros avisaram os oficiais sobre os riscos que o frio causaria ao lançamento (Imagem: Reprodução/NASA)
Gelo na plataforma antes da missão STS-51-L, com o ônibus espacial Challenger; os engenheiros avisaram os oficiais sobre os riscos que o frio causaria ao lançamento (Imagem: Reprodução/NASA)

Em caso de mau tempo, o lançamento deve ser suspenso por 30 minutos caso algum raio seja observado a 18 km ou menos do caminho de voo do foguete. Isso também vale para nuvens: se o caminho de voo estiver a menos de 10 km de nuvens com precipitação ou tempestuosas, o lançamento do foguete deverá ser adiado.

Também não é possível seguir com os lançamentos de foguetes espaciais caso esteja chovendo ou em situações de atividade solar extrema, capaz de aumentar a densidade de partículas energéticas; neste caso, circuitos eletrônicos podem ser danificados, e a comunicação de rádio com o foguete pode acabar prejudicada ou impossibilitada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: