Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.927,60
    -2,40 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    22.961,54
    +16,20 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Quais os setores com maior aumento de salário em 2023?

Sete a cada dez cargos apresentaram aumento acima da inflação, é o que diz um estudo recente realizado pela Michael Page, parte do PageGroup. O Estudo de Remuneração Michael Page 2023 revelou que 12 de 15 setores da indústria estão com remunerações em alta, em um período marcado pela recuperação da economia e desaceleramento da pandemia.

Segundo o levantamento, 72% dos cargos avaliados tiveram um ganho real salarial, enquanto 17% das funções não apresentaram mudança de um ano para o outro e 11% registraram queda. Foram analisados 903 cargos em 15 segmentos, dos quais se destacaram entre os que mais valorizaram: coordenador de PO (Project Owner) em fintechs com 55,2%; analista sistemas júnior, com 43% de alta e desenvolvedor, com 39%.

"A economia voltou a se recuperar em 2022, depois de ter colecionado resultados abaixo do esperado em função de dois anos da pandemia. Essa retomada, ajudou na volta da confiança das empresas, gerando mais empregos e renda", disse Ricardo Basaglia, CEO do PageGroup no Brasil.

Segundo Basaglia, o principal aprendizado nesse período pós-pandemia é como o trabalho remoto transformou as organizações. (Imagem: Pexels/Pavel Danilyuk)
Segundo Basaglia, o principal aprendizado nesse período pós-pandemia é como o trabalho remoto transformou as organizações. (Imagem: Pexels/Pavel Danilyuk)

O executivo ainda explica que, em contrapartida, segmentos como vendas, varejo e imobiliários apresentam um cenário um pouco mais difícil, mostrando que a recuperação da renda ainda tem um caminho a ser trilhado. "Mas o grande aprendizado nesse período é como o trabalho remoto transformou a vida das organizações, trazendo novos desafio aos gestores na atração e retenção de talentos", afirma.

Confira as variações na remuneração dos setores baseados no estudo da Miachel Page, a seguir;

Setor

Remuneração

Cargos que tiveram aumento

Cargos que tiveram estabilidade

Cargos que tiveram queda

Bancos e Serviços Financeiros

Média

94%

3%

3%

Logística

Média

80%

11%

9%

Varejo

Média

29%

39%

32%

Vendas

Média

33%

38%

29%

Marketing & Digital

Média

48%

22%

30%

Tecnologia da Informação

Média

68%

28%

4%

Jurídico

Média

100%

-

-

Saúde

Média

100%

-

-

Financeiro & Tributário

Média

58%

21%

21%

Seguros

Média

100%

-

-

RH

Média

86%

14%

-

Imobiliário & Construção

Média

49%

51%

-

Secretariado & Business Support

Média

84%

9%

7%

Agro

Média

100%

-

-

Principais insights para os segmentos

Bancos e Serviços Financeiros

O mercado de serviços financeiros está se diversificando, principalmente com o avanço das fintechs — que lideram as contratações, com foco em diversidade. Segundo Juliana França, gerente executiva de Michael Page, os serviços financeiros estão cada vez mais ligados ao setor tecnológico, ao ponto de que o conhecimento em linguagem de programação tornou-se um item comum nas descrições de oportunidades de emprego no setor.

“É o intercâmbio da área de negócio que aprendeu de tecnologia e de tecnologia que aprendeu de negócio. Quem tiver inglês e programação no currículo tem vantagem”, diz França.

Logística

Segundo Rodrigo Videira, gerente executivo da Michael Page, o ano de 2022 foi aquecido para o setor de operações e cadeia de mantimentos, com recorde de vendas de caminhões, investimentos em centros de distribuição e uma "atuação mais estratégica com foco em planejamento e em melhorar a experiência do cliente".

Já as previsões para 2023 incluem: práticas ESG, aspectos ecológicos, diversidade e cultura. Além disso, temas relacionados à tecnologia estarão em alta, visando a metrificação e eficiência de ativos, digitalização de contratos, segurança da informação e decisões baseadas em dados.

Saúde

Após a pandemia de covid-19, a área de saúde se digitalizou e está desenvolvendo muitas tecnologias envolvidas nas chamadas healthtechs, com sistemas organizacionais, gestão de Healthcare & Life Sciences pacientes, dispositivos e análises clínicas. Nesse cenário, os destaques vão para experiência do cliente, o teleatendimento, a gestão das informações e o ganho de produtividade dentro de operações complexas. Em 2023, porém, o setor ainda vai enfrentar desafios de recrutamento, como garantir mão de obra qualificada e atrair profissionais para algumas localizações específicas, especialmente centros menores.

Profissionais de desenvolvimento se tornaram presentes em todos os setores devido à demanda de startups (Imagem: Reprodução/Pexels)
Profissionais de desenvolvimento se tornaram presentes em todos os setores devido à demanda de startups (Imagem: Reprodução/Pexels)

Seguros

O mercado segurador foi marcado por inovação com as novas regulamentações da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), que inclui o open insurance — sistema de seguros aberto que permite o compartilhamento de dados dos clientes e integração de produtos e serviços.

As mudanças devem continuar neste ano, exigindo um perfil de profissional mais arrojado e inovador. Para isso, as empresas estão investindo em mudanças culturais e em branding para atrair esses candidatos. Além disso, com as insuretechs o setor de seguros se encontra com o de tecnologia, trazendo um modelo de trabalho mais híbrido que atrai esse tipo de profissional.

Recursos Humanos

Com o modelo de trabalho híbrido ganhando mais espaço, o RH passou a incorporar mais tecnologias para o cotidiano, como softwares de controle de ponto e gestão de dados dos colaboradores. Outro assunto que continuará tendo destaque em 2023 é a saúde mental, que demanda do setor de RH uma série de medidas, como pesquisas periódicas, implantação e condução de fóruns de trabalho, canais de comunicação, benefícios, entre outras melhorias.

Secretariado & Business Support

As funções de secretariado e de suporte ao negócio são fundamentais para o funcionamento correto de uma empresa. Nos últimos anos, o setor tentou aderir a uma nova modalidade, em que um grupo de profissionais atendia a diversos executivos, sem um foco principal. No entanto, o modelo não teve bons resultados e provou que algumas categorias de liderança precisam de atendimento exclusivo. A previsão para cargos do setor é de profissionais mais experientes e bilíngues, para um atendimento personalizado que, inclusive, envolve profissionais em grandes projetos e outras funções, como a de office manager.

Agro

Tendo o Brasil como protagonista mundial na produção de alimentos, o setor é o responsável por movimentar a economia brasileira. Apesar de as transformações tecnológicas do agro demorarem mais que outros setores, devido às safras, o segmento não para de adotar novas tecnologias e soluções desenvolvidas pelas agtechs. Um bom profissional para a área precisa entender o tempo útil desse ciclo e ter uma visão do que pode ser potencializado — fazendo a conexão entre o campo, a tecnologia, o desenvolvimento organizacional e investimentos financeiros.

“ESG não é uma pessoa, mas uma cultura organizacional que permeia todas as divisões. Ainda assim, é preciso ter seus responsáveis. Houve uma alta de 50% nas contratações de profissionais. São cargos em alta que vão atuar como vetores dessa transformação cultural no curto, médio e longo prazos. O que está acontecendo agora com ESG é o que aconteceu com as células de inovação criadas há alguns anos e hoje fazem parte da cultura organizacional”, diz Stephano Dedini, diretor do Michael Page.

Carreiras em destaque em cada setor

Confira os cargos que tiveram maior crescimento em cada segmento, a seguir;

  • Bancos e Serviços Financeiros: Coordenador de Project Owner (55,2%); Head de auditoria em Bancos de atacado, varejo e digitais (24,5%);

  • Logística: Gerente de transportes (30%); Comprador de Produtivos (37%);

  • Varejo: Profissional de Visual Merchandising Pleno (18%); Profissional de Loja (15%);

  • Vendas: Gerente de Trade Marketing (25%); Gerente de contas do setor de logística e transporte (22%);

  • Marketing & Digital: Coordenador de Interface com o Usuário (18%); Analista Digital (14%);

  • Tecnologia da Informação: Analista de Sistemas Júnior (43%); Desenvolvedor/ Programador Júnior (39%);

  • Jurídico: Advogado de Compliance Sênior (33%); Advogado Regulatório Pleno (31%);

  • Saúde: Gerente de Informações de Negócios BI/Efetividade (20%); Gerente de Assuntos Regulatórios (19%);

  • Financeiro & Tributário: Gerente de Controladoria (37%); Auditor interno júnior (26%);

  • RH: Analista de Sistema de Informações Gerenciais júnior (29%); Analista de Treinamento e Desenvolvimento Pleno (18%);

  • Imobiliário & Construção: Analista de Novos Negócios júnior (16%); Técnico de Edificações Pleno (15%);

  • Secretariado & Business Support: Secretária Executiva Bilíngue Júnior (32%); Secretária Executiva Trilíngue Sênior (12%);

  • Agro: Gerente de Fazenda (15%); Gerente de Produção (15%).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: