Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.957,84
    -653,80 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.886,38
    +420,36 (+0,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,19
    +0,58 (+0,67%)
     
  • OURO

    1.787,60
    -7,40 (-0,41%)
     
  • BTC-USD

    37.069,80
    +798,28 (+2,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    844,25
    +1,79 (+0,21%)
     
  • S&P500

    4.373,44
    +46,93 (+1,08%)
     
  • DOW JONES

    34.346,95
    +186,17 (+0,54%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.243,50
    +256,75 (+1,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0076
    -0,0164 (-0,27%)
     

Putin exige garantis de Biden para impedir expansão da Otan

·1 min de leitura
Presidente russo, Vladimir Putin, durante videoconferência com presidente dos EUA, Joe Biden

MOSCOU (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, apresentou ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, uma solicitação por garantias de segurança com vinculação legal que impediriam a expansão da Otan, afirmou o Kremlin nesta terça-feira, após uma videoconferência entre os dois líderes.

Durante duas horas de conversas com Biden, Putin disse que a Otan está aumentando seu potencial militar em regiões próximas às fronteiras da Rússia, "fazendo tentativas perigosas de conquistar o território ucraniano", disse o Kremlin em nota.

"Portanto, a Rússia está seriamente interessada na obtenção de garantias confiáveis, legalmente estipuladas para descartar a expansão da Otan para o leste e o destacamento de sistemas de armamentos ofensivos em Estados adjacentes à Rússia".

Autoridades russas disseram que os laços crescentes da Otan com a Ucrânia e a possibilidade de a aliança instalar no território ucraniano mísseis com o objetivo de atingir a Rússia representam uma "linha vermelha" que não poderá ser cruzada.

Putin também disse ao seu equivalente norte-americano que queria garantias que sistemas de ataque ofensivo não seriam destacados em países próximos da Rússia, afirmou o Kremlin.

O Kremlin anunciou que Putin apresentou as exigências em resposta às ameaças contra Moscou caso as atuais tensões em relação à Ucrânia escalassem.

Putin também repetiu as acusações feitas pelo governo russo de que a Ucrânia estava tomando um caminho "destrutivo" com o objetivo de desmantelar acordos de 2014 e 2015 que tinham o objetivo de encerrar o conflito com separatistas apoiados pelos russos.

(Reportagem de Daria Korsunskaya, Andrew Osborn, Vladimir Soldatkin)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos