Mercado fechará em 5 mins
  • BOVESPA

    119.571,39
    +6,95 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.978,74
    +578,94 (+1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,85
    -0,78 (-1,19%)
     
  • OURO

    1.814,90
    +30,60 (+1,71%)
     
  • BTC-USD

    56.271,80
    -892,95 (-1,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.462,99
    -8,42 (-0,57%)
     
  • S&P500

    4.196,34
    +28,75 (+0,69%)
     
  • DOW JONES

    34.521,22
    +290,88 (+0,85%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.542,25
    +51,25 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3691
    -0,0578 (-0,90%)
     

Pugilista nato: camarão louva-a-deus começa a dar socos com 9 dias de idade

Rafael Rigues
·3 minuto de leitura
Pugilista nato: camarão louva-a-deus começa a dar socos com 9 dias de idade
Pugilista nato: camarão louva-a-deus começa a dar socos com 9 dias de idade

Os socos mais poderosos em toda a natureza pertencem a crustáceos que raramente ultrapassam os 40 cm de comprimento, os camarões louva-a-deus ou “tamarutacas”. Estes animais usam seu segundo par de patas, em forma de clavas, para “socar” as presas com velocidade que pode chegar a 110 km/h, matando-as instantaneamente com o impacto.

Em algumas espécies a velocidade é tão alta que causa sonoluminescência, quando bolhas de ar “implodem” com tamanha velocidade que causam a emissão de luz, atingindo internamente uma temperatura de até 20 mil graus Kelvin (19.726 ºC), mais alta que a superfície do Sol, que chega a 5.778 graus Kelvin em média.

Um camarão louva-a-deus da espécie Odontodactylus Scyllarus.
Um camarão louva-a-deus da espécie Odontodactylus Scyllarus. Imagem: Roy L. Caldwell, Departmento de Biologia Integrativa, Universidade da California, Berkeley

Embora os cientistas conheçam o mecanismo de ataque destes crustáceos há tempo, eles não sabiam quando os animais começavam a treinar seus golpes. Até que uma equipe da Duke University, nos EUA, analisou o comportamento de larvas do “Camarão Louva-a-Deus das Filipinas” (Gonodactylaceus falcatus) usando microscópios e câmeras de alta velocidade.

Jacob Harisson, biólogo marinho que liderou o estudo, e sua equipe coletaram ovos e indivíduos jovens dos crustáceos nas águas próximas ao Havaí. O objetivo era estudar a evolução destas “armas” naturais durante seu desenvolvimento.

Os ovos foram cultivados até que eclodissem, e as larvas observadas até os 28 dias de vida. Elas foram fixadas a palitos de dente e observadas com câmeras capazes de gravar vídeos a até 2.000 quadros por segundo (FPS). Quando eles são reproduzidos a 60 quadros por segundo o resultado é uma “câmera lenta” que permite observar os movimentos a 3% de sua velocidade real.

Segundo Harisson, nove dias após a eclosão as larvas começaram a atacar rapidamente. Seus golpes atingem velocidades de cerca de 1,4 quilômetros por hora. Dados seus pequenos braços – até cerca de 100 vezes mais curtos do que os de um adulto – isso é comparável à velocidade de ataque de um camarão adulto.

Mais importante, é até 10 vezes a velocidade de nado de outros crustáceos e peixes de tamanho similar ao das larvas, e mais de 150 vezes mais rápido do que as artêmias jovens com que os pesquisadores as alimentaram. As “armas” começam a funcionar assim que as larvas dos camarões começam a se alimentar de presas vivas, depois de exaurir os sacos de gema com os quais nasceram, diz Harrison.

“As larvas do camarão louva-a-deus são capazes de se mover incrivelmente rápido para algo tão pequeno”, diz Harrison. “É difícil para as coisas pequenas se moverem rapidamente – seus músculos e corpo são tão pequenos que não há realmente tempo ou espaço para ganhar velocidade”, afirma.

Leia mais:

Os camarões louva-a-deus podem precisar desses braços velozes quando jovens “por causa da água em que vivem”, diz Harrison. A água é mais viscosa para criaturas minúsculas do que para criaturas maiores, então mover-se por ela pode ser um desafio para larvas microscópicas. Os braços poderosos podem ser necessários para superar esse arrasto para capturar uma presa, afirma.

Fonte: Science News