Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,83
    -0,20 (-0,50%)
     
  • OURO

    1.924,00
    -5,50 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    12.892,44
    +1.835,43 (+16,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,08
    +13,19 (+5,39%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.477,74
    -161,72 (-0,68%)
     
  • NASDAQ

    11.625,25
    -66,00 (-0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

PT nacional intervém em diretório de João Pessoa em favor de candidatura do PSB

Marina Falcão
·1 minuto de leitura

Anísio Maia (PT) já conseguiu duas decisões judiciais favoráveis para prosseguir com a campanha em desacordo com a diretriz nacional da sigla O diretório Nacional do PT decretou intervenção no diretório municipal do partido em João Pessoa, com objetivo de tentar esvaziar a candidatura de Anísio Maia (PT). O petista já conseguiu duas decisões judiciais favoráveis para prosseguir com sua campanha na capital paraibana, contrariando orientação da nacional de apoiar a candidatura do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). “Quanto mais tentam asfixiar a nossa candidatura, mais a revolta aumenta", disse Anísio Maia ao Valor. Ele disse que vai recorrer contra a intervenção na Justiça, sob pena de ficar sem o suporte do diretório municipal na campanha. "Vamos depender apenas de recursos da militância", disse. Segundo o petista, Coutinho tem uma rejeição de 43% e não tem "viabilidade eleitoral" para enfrentar a ameaça de vitória de um candidato bolsonarista em João Pessoa. Walber Virgulino (Patriotas) e Nival Pereira (MDB), dois postulantes com discurso conservador, lideram as pesquisas de intenções de voto. Coutinho foi preso em dezembro de 2019, sendo liberado por concessão de liminar do ministro Napoleão Nunes Maia, do Superior Tribunal de Justiça. Ele é acusado pela Força-Tarefa da Operação Calvário de ser o chefe da organização criminosa responsável por desvios de R$ 134 milhões de recursos da saúde e da educação do Estado. Anísio Maia, do PT, conseguiu decisões na Justiça eleitoral para disputar eleições deste ano Reprodução/Facebook/@anisio13