Mercado fechará em 5 h 18 min
  • BOVESPA

    109.552,06
    -636,51 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,14
    +0,89 (+1,20%)
     
  • OURO

    1.789,50
    +7,10 (+0,40%)
     
  • BTC-USD

    16.857,56
    -161,51 (-0,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,65
    -6,15 (-1,53%)
     
  • S&P500

    3.941,26
    -57,58 (-1,44%)
     
  • DOW JONES

    33.596,34
    -350,76 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.527,17
    +5,78 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.488,25
    -77,75 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5090
    +0,0303 (+0,55%)
     

PSVR2 do PS5 usa chips proprietários feitos pela MediaTek

Durante evento realizado na tarde desta quinta-feira (10), ao discutir estratégias para o futuro, a MediaTek confirmou de surpresa que é a responsável pelo conjunto de processamento que alimenta o PSVR2, par de óculos de Realidade Virtual do PlayStation 5 com lançamento esperado para 2023. Os chips desenvolvidos em parceria com a Sony são customizados, e lidam não apenas com o headset, como também com os controles.

Discutindo sobre os avanços no segmento do Metaverso, em que a marca engloba tecnologias de Realidade Aumentada (AR) e Realidade Virtual (VR), a MediaTek revelou que o PlayStation VR2 é alimentado por chipsets da gigante. Tratam-se de soluções customizadas, desenvolvidas em parceria com a Sony, que não devem ser vistas em outros dispositivos. O anúncio também simboliza que o PSVR2 é apenas o primeiro aparelho de VR a contar com tecnologia MediaTek.

O Sony PlayStation VR2 é o primeiro dispositivo de Realidade Virtual a contar com processadores da MediaTek (Imagem: MediaTek)
O Sony PlayStation VR2 é o primeiro dispositivo de Realidade Virtual a contar com processadores da MediaTek (Imagem: MediaTek)

Segundo a empresa, o acessório utiliza um chip dedicado para processamento dos dados do headset, assim como microcontroladores embarcados nos controles — uma solução muito similar ao recém-anunciado Meta Quest Pro, cujos joysticks possuem duas unidade da plataforma Snapdragon 662, mais comum em smartphones, em cada um deles. A proposta é agilizar e aprimorar recursos como o feedback háptico, o rastreamento, a percepção das superfícies de toque e os gatilhos adaptáveis.

Detalhes mais específicos sobre esses chips não foram divulgados, possivelmente a pedido da Sony, que deve aguardar pela estreia oficial do PSVR2 para publicar a ficha técnica completa do gadget. A MediaTek confirmou apenas sua estratégia para o mercado de dispositivos voltados ao Metaverso, em que deve apostar mais nos chamados ASICs, os processadores desenvolvidos para atender especificamente uma tarefa.

PSVR2 traz rastreamento ocular e mais recursos

Revelado em janeiro deste ano, o PlayStation VR2 é a segunda tentativa da Sony de popularizar a Realidade Virtual, trazendo melhorias notáveis frente à primeira geração, e até em comparação a alguns dos óculos VR mais robustos da indústria. Além dos controles com recursos similares aos do DualSense, o aparelho traz lentes OLED 4K de 120 Hz com HDR, tecnologia de rastreamento ocular, renderização a partir do ponto focal do usuário para poupar processamento, e campo de visão amplo de 110°.

O PSVR2 entra em pré-venda na próxima terça-feira (15) e está previsto para ser disponibilizado globalmente, inclusive no Brasil, em 22 de fevereiro de 2023. A lista de tecnologias avançadas embarcadas no dispositivo cobram valores bem salgados: o aparelho será vendido por aqui com preço sugerido de R$ 4.499,90, enquanto um kit que inclui o game Horizon: Call of the Mountain, exclusivo dos óculos, sairá por R$ 4.799,90 — em ambos os casos, o headset sai mais caro que o próprio PlayStation 5.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: