Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.887,25
    +3.064,18 (+6,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

PSOL pede que STF proíba Ministério da Saúde de distribuir cloroquina

MÔNICA BERGAMO
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O PSOL pediu que o ministro Ricardo Lewandoswki, do STF (Supremo Tribunal Federal), determine que o governo federal seja proibido de veicular qualquer informação que propague, induza ou incentive o uso de medicamentos sem comprovação científica, como tipo de tratamento precoce, contra a Covid-19, especialmente cloroquina, nitazoxanida, hidroxicloriquina e ivermectina. A sigla também pede que seja determinada, liminarmente, a vedação da distribuição pelo governo federal, por qualquer um de seus órgãos, de tais substâncias e medicamentos para a finalidade de tratamento precoce do novo coronavírus. Em meio a uma nova onda de Covid-19, a Prefeitura de Manaus foi pressionada pelo Ministério da Saúde do governo Jair Bolsonaro a distribuir remédios sem eficácia comprovada para tratar seus pacientes, como cloroquina e ivermectina. Os pedidos foram feitos no âmbito da ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) 756.​ No documento, que foi protocolado nesta terça (19), o partido também pede que o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) comece imediatamente a campanha dos benefícios da vacinação contra a Covid-19. "É inaceitável que o governo continue opondo tratamento precoce à vacinação. Não há medicamentos com efeitos comprovados contra a Covid-19. É hora de dar um ponto final à desinformação do governo Bolsonaro. Chega", afirma Juliano Medeiros, presidente da sigla.