Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.530,57
    -946,18 (-1,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

PS5 ganha versão revisada mais leve e testes preliminares preocupam

·3 minuto de leitura

Mesmo frente aos baixos estoques em virtude da escassez de chips, o PS5 vende bem e sua versão em disco já não gera mais prejuízos de fabricação, como revelou a Sony no início de agosto. Curiosamente, a variante sem leitor de discos do console passa por uma situação diferente, ainda exigindo maiores investimentos da companhia.

Mesmo assim, a gigante japonesa prevê que deixará os prejuízos da versão sem discos de lado frente às vendas do PS4, combinadas a alguns ajustes que pretende fazer na linha de produção. Um deles é a estreia de uma versão revisada do aparelho, já disponível em algumas regiões do mundo, como Japão e Austrália. Poucos detalhes sobre o aparelho são conhecidos, como a redução de 300 gramas no peso.

Para entender quais mudanças foram feitas pela Sony, o YouTuber Austin Evans importou uma unidade da nova variante, com número de modelo CFI-1115A, e realizou alguns testes superficiais, desmontando o aparelho em seguida, encontrando modificações não muito animadoras.

Novo PS5 é mais silencioso, mas esquenta mais

Evans iniciou a análise colocando a versão revisada para rodar Astro's Playroom ao lado de uma unidade mais antiga do PS5. Utilizando um decibelímetro, o produtor de conteúdo constatou que a nova máquina funciona com um pouco menos de ruído, ainda que durante o uso comum seja praticamente impossível notar diferenças.

O exaustor do novo PS5 chega a atingir temperaturas entre 3 °C a 5 °C mais altas (Imagem: Reprodução/Austin Evans)
O exaustor do novo PS5 chega a atingir temperaturas entre 3 °C a 5 °C mais altas (Imagem: Reprodução/Austin Evans)

Variações mais significativas foram notadas na temperatura do exaustor: com uma câmera térmica, foi possível notar que a saída de ar do modelo novo apresenta temperaturas de 3 °C a 5 °C mais altas, de maneira consistente. Dito isso, é importante lembrar que esse não é um teste preciso, e não indica necessariamente que o chip está operando mais quente.

Para comprovar se este realmente é o caso, seriam necessários testes mais aprofundados, que utilizem sensores de maior precisão acoplados ao processador do novo PS5. Ainda assim, a situação se tornou mais preocupante quando o YouTuber partiu para o desmanche do console.

Sony reduziu heatsink drasticamente

Ao abrir a versão revisada, Austin Evans encontrou algumas mudanças significativas na construção. A primeira delas está na placa de conexões sem fio do videogame, que parece utilizar um modelo de chip diferente e, mais importante, conta com apenas duas conexões, em vez das quatro vistas no modelo original. Ainda não se sabe como isso afeta o desempenho de Wi-Fi e Bluetooth da máquina, no entanto.

Também foi encontrado dois modelos diferentes de ventoinhas, o que não chega a ser uma novidade — antes mesmo de revisar o PS5, a Sony já utilizava duas variantes de ventilador. Curiosamente, a unidade presente no novo aparelho, que traz lâminas que se estendem até o centro, seria a mais ruidosa.

O heatsink do novo modelo (à direita) é significativamente menor e feito quase inteiramente de alumínio, o que deve dificultar a dissipação de calor (Imagem: Reprodução/Austin Evans)
O heatsink do novo modelo (à direita) é significativamente menor e feito quase inteiramente de alumínio, o que deve dificultar a dissipação de calor (Imagem: Reprodução/Austin Evans)

O ponto mais preocupante, no entanto, está no heatspreader, a estrutura de metal utilizada para dissipar o calor: além de ser quase completamente feita em alumínio agora, com exceção dos tubos de cobre, a armação está significativamente menor, razão pela qual a variante revisada é 300 gramas mais leve. Em comparação, o modelo original contava apenas com as aletas de alumínio, com o restante utilizando cobre.

Ainda que não se saiba como a mudança afetará o desempenho do dispositivo até o momento, é certo que isso deve dificultar o resfriamento, já que há menos área para dissipar calor. No mais, essa redução tem um motivo claro: diminuir os custos de produção do console.

Vale lembrar que testes mais completos realizados pelo canal Gamers Nexus já haviam apontado resultados medianos, especialmente em uma das memórias do sistema, que não era coberta pelo heatsink. Resta agora aguardar por análises mais precisas do novo modelo para descobrirmos se de fato as mudanças causarão problemas em jogos mais intensos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos