Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,40
    -1,85 (-2,49%)
     
  • OURO

    1.799,00
    +16,60 (+0,93%)
     
  • BTC-USD

    16.822,34
    -176,28 (-1,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    394,86
    -7,18 (-1,79%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.489,19
    -32,20 (-0,43%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.498,75
    -67,25 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4669
    -0,0118 (-0,22%)
     

Pru! Pombos "zumbis" do pescoço torto espalham horror e intrigam especialistas

Nesta semana, a internet foi à loucura com uma série de fotos de pombos "zumbis", com pescoço retorcido e uma aparência bem bizarra. Os sintomas foram vistos entre os animais do Reino Unido, mais precisamente em um santuário de animais chamado JSPCA Animal's Shelter, em Jersey. O caso, que levou ao sacrifício desses pombos, também despertou preocupação entre os especialistas: trata-se de uma doença viral.

Conforme revelam os próprios cientistas do santuário, os pombos adoeceram por conta de um vírus chamado paramixovírus, também conhecido como PPMV. Na prática, a doença atinge o sistema nervoso, deixando o pescoço torcido, cabeça e asas trêmulas. Além disso, o vírus também gera paralisia parcial das pernas e asas. Veja algumas fotografias que circularam nas redes:

Os animais afetados também ficaram magros, com fezes verdes e só andavam em círculos, sem poder voar ou se mover com autonomia. Mas não há razão para pânico: os profissionais apontam que esse vírus específico não pode afetar humanos dessa forma, embora possa causar conjuntivite naqueles que manuseiam as aves doentes.

"É uma doença de notificação obrigatória em aves de cativeiro [o que significa que os casos suspeitos devem ser comunicados às autoridades], mas não em aves selvagens. Muitas aves morrem em poucos dias, e qualquer uma que sobreviver continuará a espalhar o vírus e será um risco para as outras. No JSPCA, as aves afetadas foram sacrificadas", apontou um porta-voz do santuário, em entrevista ao tabloide britânico Mirror.

Segundo esse porta-voz, a doença que afetou os pombos "zumbis" é extremamente infecciosa e se espalha através de fezes e outras secreções. Além disso, o vírus pode sobreviver por mais tempo nos meses mais úmidos e frios.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: