Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.053,18
    -115,26 (-0,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

Provamos a ‘comida engarrafada’ da startup Foodz

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Vai aí uma refeição engarrafada?
Vai aí uma refeição engarrafada?

Imagine só: uma “refeição” com a tabela nutricional completa compactada dentro de uma garrafa, no formato de um pó que tem validade de 1 ano, e pode ser preparada com a simples adição de água.

Leia também:

O líquido resultante dessa “alquimia” é o produto da Foodz, uma startup que lançou suas primeiras garrafinhas de comida em pó no mercado brasileiro em outubro do ano passado.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Cada frasco sai por R$ 24,90, nos sabores “Cappuccino”, “Chocolate” e “Morango” – todos eles doces.

A ideia é do francês Morgan Dierstein, que trabalhou no setor de publicidade no Brasil antes de empreender no ramo da comida compacta.

Ele conversou com o Yahoo Finanças na semana passada sobre o projeto.

Segundo o empreendedor, cerca de 8 mil garrafas já foram vendidas – em esquema de vendas diretas, pelo site, e a partir de agora na rede Mundo Verde e de supermercados St Marche. A estratégia é investir em publicidade via Facebook para atingir o público-alvo, a maioria homens na faixa dos 25 a 34 anos.

Imagem de divulgação da Foodz
Imagem de divulgação da Foodz

Dierstein explica que trabalhou com engenheiros alimentares para fazer uma “engenharia reversa” no que a empresa considera uma “refeição completa”.

Mas ele admite que o objetivo não é “substituir a comida” completamente, e conta que ele próprio é um amante da gastronomia tradicional.

“A ideia é ser uma alternativa – para a pessoa não ter que comer besteira em um dia corrido, ou quando voltar do trabalho”, explica Dierstein.

A reportagem do Yahoo Finanças provou o produto da Foodz, no sabor chocolate. O pó vem numa embalagem transparente, de design minimalista, elegante, a cara de iniciativas da “nova economia” digital voltada para a otimização do tempo e do cotidiano corrido de quem tem que trabalhar demais, e às vezes não tem tempo de preparar a própria comida.

O sabor lembra um pouco o de suplementos nutricionais voltados para a prática de exercícios, com a adição do doce do chocolate.

Vale lembrar: é vegano, ou seja, sem o uso de produtos derivados de animais.

Depois de provar, além do gosto no paladar, ficou na cabeça a pergunta: será esse o futuro da comida?

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube