Mercado abrirá em 2 h 31 min
  • BOVESPA

    113.583,01
    +300,34 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.598,53
    +492,82 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,24
    +0,79 (+1,05%)
     
  • OURO

    1.739,80
    -12,20 (-0,70%)
     
  • BTC-USD

    41.767,45
    -2.044,43 (-4,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.036,58
    -64,94 (-5,90%)
     
  • S&P500

    4.443,11
    -12,37 (-0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.869,37
    +71,37 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.022,83
    -40,57 (-0,57%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.947,00
    -247,75 (-1,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2853
    -0,0215 (-0,34%)
     

Protestos na Tunísia visam partido islâmico em meio a crise política

·1 minuto de leitura
Protesto contra o governo em Túnis

Por Tarek Amara

TÚNIS (Reuters) - Polícia e manifestantes entraram em confronto em várias cidades da Tunísia neste domingo, com os manifestantes exigindo a renúncia do governo e atacando sedes do Ennahda, o partido islâmico moderado que é maioria no Parlamento.

Testemunhas disseram que os participantes dos protestos invadiram ou tentaram invadir as sedes do Ennahda nas cidades de Monastir, Sfax, El Kef e Sousse, enquanto em Touzeur eles incendiaram o escritório local do partido.

A violência irrompeu depois que centenas de manifestantes se reuniram em cada uma das principais cidades após o aumento nos casos de Covid-19 agravarem problemas econômicos e os conflitos de uma classe política em disputa.

Os protestos, os maiores na Tunísia em meses e os maiores contra o Ennahda em vários anos, foram convocados por ativistas via redes sociais. Nenhum partido político apoiou publicamente as manifestações.

Em Túnis, a polícia usou spray de pimenta contra os manifestantes, que atiraram pedras e gritaram slogans exigindo a renúncia do primeiro-ministro Hichem Mechichi e a dissolução do Parlamento. Houve outros grandes protestos em Gafsa, Sidi Bouzid e Nabeul.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos