Mercado fechará em 26 mins
  • BOVESPA

    110.277,78
    +1.434,04 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.855,85
    +298,20 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    +0,22 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.775,70
    +11,90 (+0,67%)
     
  • BTC-USD

    41.967,73
    -1.095,68 (-2,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.045,02
    -18,83 (-1,77%)
     
  • S&P500

    4.376,24
    +18,51 (+0,42%)
     
  • DOW JONES

    34.087,02
    +116,55 (+0,34%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.074,75
    +65,25 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1963
    -0,0484 (-0,78%)
     

Protestos contra passe vacinal reúnem mais de 200 mil na França

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mais de 200 mil franceses saíram às ruas neste sábado (31), nas maiores manifestações até agora contra o certificado de vacinação criado pelo governo do presidente Emmanuel Macron, que libera o retorno de algumas atividades somente para pessoas completamente imunizadas contra a Covid-19.

De acordo com autoridades do ministério do Interior, foram contabilizados 204.090 manifestantes em todo o país --14.250 deles na capital, Paris, onde dez pessoas foram presas e três policiais ficaram feridos em confrontos.

Os protestos deste final de semana em toda a França reuniram 40.000 manifestantes a mais do que no final de semana passado.

Este é o terceiro final de semana seguido em que a França registra manifestações de cidadãos insatisfeitos com o passe vacinal criado pelo governo Macron. O passe vacinal já era exigido no acesso a museus e cinemas, e passou a ser exigido em bares, restaurantes e trens.

"Estamos criando uma sociedade segregada e eu penso que é inacreditável que isso esteja acontecendo no país dos direitos humanos", disse Anna, uma professora que saiu às ruas em Paris, à agência de notícias Reuters.

"Então eu saí às ruas. Eu nunca havia protestado antes em minha vida. Acredito que nossa liberdade está sob perigo."

A França é um dos países europeus com maior número de pessoas céticas em relação à vacina contra o coronavírus. Esta semana, o país ultrapassou 50% da população imunizada, e vê uma aceleração do contágio, com mais de 24.300 casos registrados na última sexta-feira (30).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos