Mercado abrirá em 1 h 34 min
  • BOVESPA

    95.368,76
    -4.236,78 (-4,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    37.393,71
    -607,60 (-1,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,78
    -1,61 (-4,31%)
     
  • OURO

    1.876,80
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    13.139,71
    -23,68 (-0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    259,81
    -12,88 (-4,72%)
     
  • S&P500

    3.271,03
    -119,65 (-3,53%)
     
  • DOW JONES

    26.519,95
    -943,24 (-3,43%)
     
  • FTSE

    5.590,47
    +7,67 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.223,00
    +90,25 (+0,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7217
    -0,0127 (-0,19%)
     

Prorrogação de incentivos fiscais para montadoras e fabricantes de veículos vai à sanção

IARA LEMOS
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os senadores aprovaram na tarde desta terça-feira (6) medida provisória que que possibilita a montadoras e fabricantes de veículos receberem crédito presumido do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) em vendas até dezembro de 2025 caso apresentem projetos de investimentos regionais. A proposta foi aprovada em sessão remota, com 67 votos favoráveis e 4 contrários. O texto agora será encaminhado para sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A medida prevê que as empresas instaladas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste terão até 31 de outubro deste ano para apresentar projetos para novos investimentos, pesquisas e desenvolvimento de produtos. Editada em junho, a MP estendia esse prazo até 31 de agosto. A apresentação desses projetos é necessária para que o incentivo fiscal seja concedido às montadoras. A renúncia fiscal é estimada, segundo o Ministério da Economia, em R$ 150 milhões por ano. Para compensar a perda de arrecadação, o relator da MP, deputado André de Paula (PSD-PE), incluiu a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre as operações realizadas com o FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). No Senado, o texto foi relatado pelo senador Luiz do Carmo (MDB-GO), e não sofreu alterações em relação ao que foi aprovado na Câmara. Ainda na Câmara, o relator incluiu também a prorrogação do incentivo fiscal às empresas instaladas no Centro-Oeste até o fim de 2025. Originalmente, o benefício tributário se encerraria em 31 de dezembro deste ano. Em sua justificativa, André de Paula afirmou que haveria uma "incontornável assimetria e verdadeira quebra da isonomia tributária" caso o incentivo fiscal para o Centro-Oeste se encerrasse antes das outras regiões. As regiões Norte e Nordeste já têm assegurado o benefício fiscal até o fim de 2025.