Mercado fechará em 19 mins
  • BOVESPA

    111.316,32
    -757,23 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.528,90
    -490,01 (-0,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,64
    +0,23 (+0,30%)
     
  • OURO

    1.930,60
    -12,20 (-0,63%)
     
  • BTC-USD

    24.046,79
    +980,68 (+4,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    550,03
    +4,72 (+0,87%)
     
  • S&P500

    4.188,22
    +69,01 (+1,68%)
     
  • DOW JONES

    34.054,95
    -38,01 (-0,11%)
     
  • FTSE

    7.820,16
    +59,05 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    21.958,36
    -113,82 (-0,52%)
     
  • NIKKEI

    27.402,05
    +55,17 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    12.859,00
    +444,75 (+3,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4792
    -0,0752 (-1,35%)
     

Proposta de moeda comum com Argentina não visa substituir moedas nacionais, diz secretário

BRASÍLIA (Reuters) - Proposta de estudar uma eventual criação de moeda comum para transações entre Brasil e Argentina nada tem a ver com uma substituição das moedas nacionais, disse nesta segunda-feira o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Gabriel Galípolo, argumentando que a ideia é facilitar as trocas comerciais entre os dois países.

Em entrevista à GloboNews, Galípolo afirmou que a atuação da política monetária dos Estados Unidos pode constranger o comércio entre os dois países, ao citar dificuldades da Argentina em converter sua moeda para realizar transações externas.

Segundo ele, a busca pela solução passa, no primeiro momento, pela criação de um sistema de garantias a exportadores brasileiros que vendem para a Argentina. Um segundo passo seria a discussão sobre os meios de troca.

(Por Bernardo Caram)