Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,39
    +0,19 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.822,70
    +8,70 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    29.915,79
    -1.071,85 (-3,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    670,27
    +427,59 (+176,19%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.464,80
    +46,65 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    19.950,21
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    26.559,80
    +12,75 (+0,05%)
     
  • NASDAQ

    12.291,00
    +46,25 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2827
    +0,0022 (+0,04%)
     

Promessa da China de apoiar economia não convence investidores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- A retórica otimista do governo chinês e as promessas de apoio a uma economia que paga o preço pela rigorosa estratégia Covid-Zero não convenceram os investidores.

A China registrou a maior contração nas vendas no varejo e o maior desemprego desde os primeiros meses da pandemia na segunda-feira. Horas depois, o banco central anunciou 23 medidas para amortecer a economia, incluindo mais apoio a empréstimos para ajudar as empresas que lutam para lidar com o impacto dos confinamentos.

A mídia estatal seguiu com um comunicado detalhado sobre crescimento, dizendo que as metas anuais ainda podem ser atingidas. Órgãos do governo prometeram na terça-feira mais medidas para ajudar as empresas a retomar a produção em setores chave.

A resposta dos mercados locais foi de indiferença, com o índice CSI 300 caindo 0,8% em Xangai na terça-feira, um terceiro dia de queda. Para os investidores, a maior preocupação é o mais recente aumento nos casos de Covid e mais lockdowns do tipo que fecharam Xangai por semanas, preocupações que ofuscaram as promessas das autoridades de apoio ao mercado e flexibilização das políticas.

“Não será um ano muito fácil para o mercado. O mercado precisa de muito mais tempo antes de ver uma recuperação ampla e sustentável”, disse Bruce Pang, chefe de pesquisa de macroestratégia da China Renaissance Securities, em entrevista à Bloomberg TV. “Todos os fatores negativos, como desaceleração macro, incertezas regulatórias e lockdowns de Covid ainda não estão desaparecendo, o que ainda atrapalha o sentimento e a confiança.”

O presidente Xi Jinping deixou claro que não haverá mudanças nas políticas do Covid-Zero que o país segue desde o confinamento de Wuhan em 2020, o que significa que um ciclo de paralisações e reabertura é provável em cidades de todo o país pelo resto deste ano e possivelmente até mais tempo.

O surto do vírus e os controles rigorosos são agora a maior ameaça ao crescimento da China desde que a pandemia começou há dois anos, somando-se à crise do mercado imobiliário, à guerra na Ucrânia e ao aumento das taxas de juros globais.

UBS, Barclays e Bank of America cortaram suas previsões de crescimento para a China abaixo de 5%, com o Bank of America prevendo um resultado pessimista de apenas 3,5% de expansão se os confinamentos se espalharem para mais centros econômicos.

Em um sinal do que pode estar reservado para o resto do país, Tangshan, um centro siderúrgico a cerca de 160 quilômetros de Pequim, na terça-feira anunciou lockdowns em alguns distritos da cidade para impedir um novo surto do vírus, apenas uma semana depois de suspender as restrições em toda a cidade.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos