Mercado fechará em 3 h 22 min
  • BOVESPA

    110.644,50
    +1.800,76 (+1,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.603,06
    +45,41 (+0,09%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,45
    +0,16 (+0,23%)
     
  • OURO

    1.776,80
    +13,00 (+0,74%)
     
  • BTC-USD

    42.758,53
    -1.280,18 (-2,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.068,33
    +4,49 (+0,42%)
     
  • S&P500

    4.377,03
    +19,30 (+0,44%)
     
  • DOW JONES

    34.138,95
    +168,48 (+0,50%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.089,50
    +80,00 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2008
    -0,0439 (-0,70%)
     

Projetos de arte sacra poderão ser atendidos pela Lei Rouanet

·2 minuto de leitura

Um decreto pretende desburocratizar o Programa Nacional de Incentivo à Cultura, mais conhecido como Lei Rouanet. A lei faz a ponte entre patrocinadores e projetos culturais, facilitando os investimentos privados no setor. “O decreto vai trazer um fluxo de aprovação de projetos mais fácil e retirar alguns entraves burocráticos desnecessários”, disse o secretário Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura, André Porciúncula, em entrevista ao programa A Voz do Brasil.

O decreto foi assinado na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro, e também prevê a inclusão dos segmentos de belas artes e arte sacra entre os que podem ser atendidos pela Lei Rouanet. “Todos nós sabemos que a arte sacra no Brasil é um patrimônio riquíssimo, imenso, inestimável”. Museus e patrimônios históricos tombados também poderão receber recursos.

O novo decreto também permite um maior controle da prestação de contas do dinheiro repassado. “A gente não tinha compreensão se o projeto sequer tinha sido executado”. Segundo o secretário, foi criada força-tarefa para a análise do dinheiro já concedido. Outro objetivo, segundo Porciúncula, é acabar com a concentração de recursos. Segundo ele, 10% dos proponentes detinham 78% dos recursos. “Um dos objetivos desse decreto é descentralizar esse recurso para a gente atingir esses pequenos produtores”.

Incêndio na Cinemateca

André Porciúncula falou também sobre o incêndio que atingiu o galpão da Cinemateca Brasileira, localizado na Vila Leopoldina, zona oeste da capital paulista, no último dia 29. O secretário garantiu o acervo original da Cinemateca continua preservado, uma vez que ele se localiza em outro prédio. Segundo ele, nas próximas semanas deve sair o resultado da perícia.

Auxílio

O secretário falou das iniciativas do governo para ajudar o setor de cultura e economia criativa, duramente atingidos pela pandemia. Segundo ele, foi lançada uma linha de crédito de R$ 400 milhões para socorrer o setor cultural com juros baixos e dois anos de carência para pagamento. Além da Lei Aldir Blanc, na qual foram injetados R$ 3 bilhões.

Assista ao programa A Voz do Brasil na íntegra:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos