Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,56
    +0,58 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.749,80
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    43.482,74
    +702,90 (+1,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,84 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.310,00
    -8,75 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2559
    +0,0309 (+0,50%)
     

Projeto quer criar nuvens mais brancas e reflexivas para resfriar a Terra

·2 minuto de leitura

Nosso planeta enfrenta consequências severas relacionadas às mudanças climáticas e os principais relatórios apontam para um mundo ainda mais quente até 2050. Para somar forças na missão de enfrentar este grande desafio pela frente, um grupo internacional de cientistas atmosféricos propôs a criação de nuvens marinhas “mais brancas” e que reflitam mais luz solar para o espaço, como uma alternativa para o resfriamento da atmosfera terrestre.

O projeto colaborativo Marine Cloud Brightening (MCB), conduzido pela Universidade de Washington em parceria com o Centro de Pesquisa de Palo Alto (PARC) e a Biblioteca Nacional do Noroeste do Pacífico, concentra-se em um método teórico da geoengenharia chamado clareamento de nuvem marinha. Segundo os pesquisadores, o principal objetivo é explorar o aumento da capacidade de reflexão das nuvens marinhas baixas a partir da água do mar.

As nuvens longas e estreitas quase no centro da imagem são conhecidas como "rastros de navio" — registradas acima do Pacífico (Imagem: Reprodução/NASA)
As nuvens longas e estreitas quase no centro da imagem são conhecidas como "rastros de navio" — registradas acima do Pacífico (Imagem: Reprodução/NASA)

A equipe se inspirou nas "nuvens" brancas emitidas por navios, conhecidas também como "rastros de navio". As vantagens em um sistema tão simples assim são muitas, como o uso da própria água disponível no mar. Ainda, é um projeto que pode ser conduzido no nível do mar, o que significa não depender de aeronaves — as quais gerariam mais custo e emissões de gases poluentes.

Agora, o MCB se concentra em três etapas. Na primeira, eles investigam se é possível aumentar a refletividade das nuvens de maneira confiável e previsível. Na segunda, os resultados são modelados para entender melhor como o projeto poderia afetar o clima local e global. Por último, a equipe estuda como elaborar um sistema de pulverização que produza partículas de água com os tamanhos e concentrações ideais.

Os pesquisadores acreditam que, caso a ideia funcione, as nuvens mais brancas poderiam resfriar a atmosfera. O projeto, em si, não resolveria as mudanças climáticas, mas poderia proporcionar mais tempo para o mundo lidar com os gases de efeito estufa e as altas taxas de carbono atmosférico.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos