Mercado fechará em 2 h 42 min
  • BOVESPA

    125.709,40
    +1.097,37 (+0,88%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.189,54
    +279,01 (+0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,45
    +0,80 (+1,12%)
     
  • OURO

    1.801,40
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    40.168,74
    +2.382,11 (+6,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    942,02
    +12,09 (+1,30%)
     
  • S&P500

    4.393,96
    -7,50 (-0,17%)
     
  • DOW JONES

    34.931,94
    -126,58 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.989,50
    +41,75 (+0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1032
    -0,0052 (-0,09%)
     

Projeto de privatização dos Correios será votado na próxima semana pela Câmara

·2 minuto de leitura

O Ministério da Economia definiu nesta terça-feira (6) o modelo de privatização dos Correios, que pretende se desfazer de 100% do capital da estatal. Segundo Diogo Mc Cord, secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, a intenção é vender integralmente o controle da companhia no formato de um leilão único.

A decisão difere dos modelos adotados pela BR Distribuidora e pela Eletrobras, baseados em operações no mercado de capitais. O projeto de lei 591/21, que trata da privatização dos Correios, será votado ainda na próxima semana pela Câmara Federal após uma decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil
Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil

A intenção do governo federal é acelerar sua pauta de privatizações, que tem previsão de realizar o leilão da estatal em março de 2022. Segundo o jornal O Globo, a intenção é que o processo de privatização da Eletrobas seja finalizado no mesmo trimestre — no caso da estatal, ela já teve seu processo aprovado pelo Congresso Nacional.

Governo quer votar o projeto até o dia 18

O projeto de privatização prevê a transformação da Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel) na Agência Nacional de Comunicações (Anacom), entidade que também passará a regular os sistemas postais. Para que o processo de privatização dos Correios seja finalizado dentro do prazo esperado pelo governo, o PL precisa ser votado antes do início do recesso parlamentar, previsto para o dia 18 de julho.

A decisão foi marcada por diversos protestos da oposição, que afirmam que o projeto gera uma quebra da soberania nacional e deve resultar no encarecimento de serviços e no aumento do desemprego. Os defensores da privatização argumentam que ela deve aprimorar a tecnologia dos Correios, aumentar seu faturamento e agilizar a entrega de pacotes.

O projeto enviado à Câmara define a obrigação do atendimento a regiões remotas e dos serviços de interesse social, como a carta social. O governo também prevê a realização da concessão do serviço postal, regulado através da Anacom, que será a responsável por definir tarifas, tempo de entrega e outras exigências para os futuros controladores da companhia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos