Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,30 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.872,00
    +31,80 (+1,73%)
     
  • BTC-USD

    35.040,73
    +640,76 (+1,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    694,93
    -5,68 (-0,81%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.962,47
    +320,19 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.523,26
    -110,20 (-0,38%)
     
  • NASDAQ

    13.290,50
    +305,00 (+2,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4075
    -0,0911 (-1,40%)
     

Projeto de lei que permite a bares e restaurantes ocupar mais espaço em calçadas provoca polêmica

Leonardo Ribeiro, Letícia Lopes e Ludmilla de Lima
·1 minuto de leitura
Guito Moreto / Agência O Globo

RIO — O espaço para a circulação de pedestres nas calçadas ocupadas por mesas de bares e restaurantes poderá encolher significativamente. Um projeto de lei, aprovado na última sexta-feira, reduz a área livre de passagem, que hoje é obrigatoriamente de pelo menos 2,5 metros, para menos da metade, apenas 1,2 metro. A mudança, que ainda precisa ser sancionada pelo prefeito Marcelo Crivella, tem provocado polêmica em várias frentes. Urbanistas reclamam que a alteração vai na contramão de uma cidade planejada ao retirar espaço para o carioca caminhar e temem que surjam “cercadinhos” por todos os lados. Mas, para os estabelecimentos, em meio à pandemia de Covid-19, pode se um fôlego que lhes permitirá aumentar o espaço entre as mesas e sobreviver à crise.

Lideranças comunitárias dizem que a expansão vai criar “currais” nas calçadas, obrigando vizinhos dos estabelecimentos a se espremerem no “ir e vir”. E, ao contrário dos comerciantes, defendem que, com o número de casos da doença em alta, não é hora de permitir mais mesas, incentivando que as pessoas saiam de casa e entrem em possíveis aglomerações.