Mercado abrirá em 7 h 44 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,70
    +1,52 (+2,30%)
     
  • OURO

    1.778,90
    +2,40 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    57.076,77
    -169,32 (-0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.469,08
    +26,30 (+1,82%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.804,87
    +329,61 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    28.015,69
    +193,93 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    16.321,50
    +171,00 (+1,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3900
    +0,0200 (+0,31%)
     

Projeto de Finanças Descentralizadas sofre roubo e perde US$ 16 mi em tokens

·2 min de leitura

Em 14 de outubro, o protocolo Indexed Finance teve US$ 16 milhões (aproximadamente R$ 89 milhões, na cotação atual) roubados por um criminoso digital. Porém, conforme informado pela instituição na segunda-feira (18), eles já descobriram a identidade do responsável pelo crime.

Indexed Finance é um protocolo DeFi, ou seja, de Finanças Descentralizadas, desenvolvido na rede Ethereum que permite aos detentores de tokens rastrear índices de mercado. Atualmente, seis tokens são atrelados ao protocolo.

O termo DeFi é usado para projetos que tem como objetivo automatizar ferramentas financeiras tradicionais, usando contratos inteligentes, programas que executam funções específicas em transações, para a realização de empréstimos sem a intervenção de bancos ou outras instituições financeiras, por exemplo. Grande parte destes projetos são desenvolvidos junto da blockchain do Ethereum, segunda maior criptomoeda em atividade, perdendo em valor de mercado somente para o Bitcoin.

Segundo o comunicado da Indexed Finance, o invasor conseguiu roubar os ativos digitais a partir de uma vulnerabilidade presente nos contratos autônomos do projeto. Isso resultou em uma queda brusca no valor de dois dos seis ativos do protocolo, o DEFI5 e o CC10.

O invasor foi identificado por membros do projeto em 15 de outubro, por não ter coberto bem os seus rastros fora da plataforma. A ele foi dado o ultimato de devolver os ativos roubados até a meia-noite do dia 16 ou as autoridades seriam acionadas.

Porém, os integrantes do Indexed Finance acabaram descobrindo que o criminoso era bem mais novo do que imaginavam, e suspenderam o ultimato. Não se sabe como se encontra a negociação no momento atual, mas tweets do projeto indicam que eles esperam que, mesmo sem a pressão das condições do ultimato, o jovem invasor realize a devolução dos ativos.

O impacto do roubo

<em>Gráfico do CoinGecko mostrando a queda do token CC10 após o roubo. (Imagem: Captura de Tela/Dácio Augusto/Canaltech)</em>
Gráfico do CoinGecko mostrando a queda do token CC10 após o roubo. (Imagem: Captura de Tela/Dácio Augusto/Canaltech)

Uma hora depois do ocorrido, o ativo DEF15 havia tido uma queda de 85% em seu valor, passando de US$ 88,73 (cerca de R$ 492) para US$ 3,67 (aproximadamente R$ 20,5). O token CC10 também sofreu, perdendo 98% de seu valor, indo de US$ 62,50 (R$ 349) para US$ 0,74 (R$ 4)

Três outros tokens indexados, DEGEN, NFTP e ORCL5, não foram afetados, de acordo com Laurence Day, um dos desenvolvedores do protocolo, em entrevista ao site Decrypt. Por fim, o último ativo, FFF, um meta índice que contém os tokens DEFI5 e CC10, foi bastante afetado e precisará ser desativado. Day afirmou que o projeto tem planos para compensar investidores afetados pelo ataque.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos