Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.907,36
    +378,39 (+0,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,27
    -1,40 (-2,23%)
     
  • OURO

    1.793,40
    +15,00 (+0,84%)
     
  • BTC-USD

    55.626,32
    +121,70 (+0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.282,32
    +19,36 (+1,53%)
     
  • S&P500

    4.161,30
    +26,36 (+0,64%)
     
  • DOW JONES

    34.067,37
    +246,07 (+0,73%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.859,00
    +64,75 (+0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6989
    -0,0036 (-0,05%)
     

Projeto de educação musical une diversão e ensino em show on-line

Regiane Jesus
·1 minuto de leitura

RIO — É para soltar a voz e tirar o pé do chão sem sair de casa. Linguagem universal, a música é o instrumento usado pelo projeto Duo Fanfarrão, criado e protagonizado por Álvaro Di Azevedo e Santiago Galdino para desenvolver a fala e a psicomotricidade (integração das funções motoras e psíquicas) de crianças de 0 a 12 anos. O espetáculo interativo da dupla, que será apresentaedo hoje e amanhã, às 16h, no canal da Espiral Soluções no YouTube, educa e diverte usando ritmos brasileiros, como samba, baião e maracatu. O humor é outro elemento explorado pelos artistas para estimular a curiosidade e a criatividade da garotada.

Morador de Quintino, Azevedo explica a importância dos sons na formação dos pequenos:

— As crianças são muito impactadas pelos estímulos musicais. A música desenvolve o ritmo, a fala e a comunicação e ainda incentiva a a troca e o trabalho em grupo. A educação musical surge como um meio de revelar às crianças novas formas de brincar e de aprender usando os sons — diz o músico, especialista em instrumentos de sopro, como a tuba.

Sobre o projeto beneficiado pela Lei Aldir Blanc, que proporciona um auxílio emergencial ao setor cultural durante a pandemia, Galdino, morador da Tijuca, ressalta a importância deste trabalho.

— Levar esta ferramenta não só para o universo on-line como também para as escolas é uma oportunidade de enriquecer o leque de opções de ensino — observa o percussionista.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)