Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    46.532,65
    -107,22 (-0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Projeto de lei quer proibir exigência de foto no currículo

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Carteira de trabalho. (Foto: Getty Images)
Carteira de trabalho. (Foto: Getty Images)

Um novo projeto de lei número 187/21, atualmente em tramitação na Câmara dos Deputados, em Brasília, quer tornar ilegal a exigência de fotos em currículos ou outros tipos de ficha de inscrição para vagas de trabalho.

Leia também:

As informações são da rede de notícias Agência Câmara.

O autor do projeto é o deputado Juninho do Pneu (DEM-RJ).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

"O único objetivo, sem sombra de dúvida, é evitar a discriminação de candidatos cuja aparência física não seja adequada ao padrão considerado ideal pelo empregador", disse Juninho à Agência Câmara.

O plano é incluir essa nova exigência às normas já em vigor da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Apesar de já haver normas que buscam proteger o trabalhador de discriminação, segundo Juninho, essa seria mais uma forma – mais objetiva – de evitar esse tipo de prática no mercado de trabalho.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube