Mercado fechado

Projeto de jovem de Paraisópolis será enviado ao espaço pela Nasa

(Reprodução)

Morador da favela de Paraisópolis, o estudante Natan Cardoso de Oliveira, de 15 anos, viu sua vida mudar nos últimos meses. O jovem teve seu projeto escolhido pela Nasa e terá sua ideia levada à Estação Espacial Internacional para testes.

Para acompanhar o lançamento de sua ideia ao espaço, ele viajou aos Estados Unidos e apresentou a invenção – um cimento espacial feito com cimento comum, areia lunar e um plástico biodegradável em pó – em um congresso em Washington. “Até sonhava em viajar ao exterior um dia, mas nunca imaginei que isso iria acontecer tão cedo, e por esse motivo”, explica, em entrevista à revista Veja.

O sucesso de sua ideia também rendeu ao grito uma bolsa de estudos em um colégio particular para o ensino médio a partir do ano que vem, e de uma escola de inglês, onde Natan fez um curso intensivo de dois meses para conseguir se comunicar durante a viagem.

Cimento espacial

O projeto do estudante foi selecionado entre 72 ideias de alunos de colégios de ensino público e particular, em um concurso organizado pela Missão Garatéa, um projeto criado por pesquisadores brasileiros, com o objetivo de fomentar as iniciativas espaciais entre os estudantes.  “Nossa ideia foi convidar o Dante Alighieri, pois o colégio já era nosso parceiro em experimentos anteriores, e também alunos de escolas públicas”, conta o engenheiro espacial Lucas Fonseca, diretor da Missão Garatéa.

O cimento espacial será enviado pela Nasa e testado pelos astronautas na ISS e, caso tenha sucesso, pode ser utilizado no futuro em construções fora da Terra. Seu principal destaque é o uso do polímero em pó, que que pode criar uma camada de proteção contra os índices de radiação emitidos no espaço.

Junto com Natan, viajarão quatro alunos que participaram do projeto: três do colégio Dante Alighieri, Guilherme Funck, Laura D’Amaro e Otto Gerbakka, e uma, Sofia de Ávila, do Projeto Âncora, uma ONG de Cotia.