Mercado fechará em 3 mins
  • BOVESPA

    121.759,25
    +1.838,64 (+1,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.247,20
    +312,29 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,74
    +0,03 (+0,05%)
     
  • OURO

    1.832,70
    +17,00 (+0,94%)
     
  • BTC-USD

    57.512,36
    +1.306,57 (+2,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.487,44
    +51,65 (+3,60%)
     
  • S&P500

    4.234,35
    +32,73 (+0,78%)
     
  • DOW JONES

    34.787,79
    +239,26 (+0,69%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.717,25
    +119,50 (+0,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3607
    -0,0059 (-0,09%)
     

Projeto aprovado na Câmara adia entrega do Imposto de Renda para 31 de julho

Júlia V. Kurtz
·2 minuto de leitura
Projeto aprovado na Câmara adia entrega do Imposto de Renda para 31 de julho

O prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda em 2021 pode ser adiado mais uma vez.

A Câmara dos Deputados aprovou na terça-feira (13) um projeto que altera o prazo de entrega para o dia 31 de julho. A Declaração é referente ao ano-calendário de 2020.

O texto já foi aprovado pelo Senado e depende apenas da sanção do presidente Jair Bolsonaro para entrar em vigor. A alteração ocorre após outra mudança de data divulgada pela Receita Federal, que adiou o prazo para o dia 31 de maio.

A prorrogação ocorre devido à pandemia de Covid-19 e é uma forma de evitar que as pessoas se aglomerem na hora de entregar suas declarações. O prazo de entrega também foi alterado em 2018 pelo mesmo motivo.

O cronograma de restituição do Imposto de Renda, no entanto, não foi alterado. Isto significa que os contribuintes que adiantarem a entrega de suas contribuições poderão receber suas restituições a partir da data original, em 31 de maio.

Os contribuintes que possuem ativos em criptomoedas também precisam declarar suas aquisições superiores a R$ 5 mil e movimentações superiores a R$ 35 mil mensais. Em entrevista ao BeInCrypto, a contadora Ana Paula Rabello explica como funciona a declaração de criptomoedas no Brasil. Segundo ela,

“Mesmo que você tenha menos de R$ 5 mil em criptomoedas, mas está operando e acumulando, é bom declarar. Apesar da declaração por ativo ser feita de forma separada, ao se tratar de tributação, o valor tributado é considerado na soma de ativos por CPF. Por exemplo, se você tem R$ 4 mil em Bitcoin e R$ 2 mil em Ethereum, eu recomendaria declarar.”

O artigo Projeto aprovado na Câmara adia entrega do Imposto de Renda para 31 de julho foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.